Criar um Blog
Gerenciar um Blog
Visitar Próximo Blog
Denuncie

DEUS TEM O MELHOR PARA MIM!

NA ANGÚSTIA, CANTE LOUVORES AO SENHOR

9:05, 8/10/2009

8 comentários

centralizar

Minha querida amiga, hoje me deu uma vontade grande de lhe dar uma flor e dizer que se você está vivendo alguma luta muito difícil, se você não vê horizonte nenhum diante de ti, se sente que suas forças estão no fim , acredite : chegou o momento de vencer! Você não está só. Aquele que te ama com amor puro e verdadeiro está aí mesmo do teu lado, embora você não o veja. Entregue a Ele o fardo que lhe oprime, e confie na tua vitória, amada. Eu sei que é difícil, mas o primeiro passo para a mudança é você mesma quem tem que dar. Dê em direção a Deus e medite nesta palavra:

"Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus". (II Co 1:3,4)

Agora mesmo, onde você está, comece a cantar um cântico de louvor ao Senhor. Exalte Ele com as poucas forças que lhe restam, e verá que o coração de Deus não é duro não. JESUS TE AMA, não se esqueça disto.

O SEU POUCO É MUITO IMPORTANTE PARA DEUS

8:58, 8/10/2009

1 comentários

centralizar

OFERTAR É UM GESTO DE ADORAÇÃO E GRATIDÃO AO NOSSO DEUS!

Nos últimos dias tenho me surpreendido com a quantidade de pessoas que nos procuram em nossa Igreja, ou mesmo em nossa casa, em busca de ajuda espiritual, oração, um aconselhamento, um socorro imediato, um auxílio de qualquer ordem. Certamente que essas pessoas só se lembram de nós, porque nossas portas estão sempre abertas, jamais fechadas, e sabem que estará alí alguém que lhes atendam com carinho e presteza.
Quando chegam à Igreja, encontram alí um lugar limpo, com um jardim bem cuidado, bancos para para se sentarem, iluminação, ventiladores, água fresquinha, um transporte para algum socorro, dentre outras coisas básicas necessárias ao mínimo de conforto que um ser humano deve encontrar num lugar chamado de "Casa de Deus". Claro, também encontrarão cultos avivados, um louvor abençoado, ensinos bíblicos, sermões, oração e muito amor entre todos.

Posso garantir que nada disso seria possível, se não fosse a contribuição de pessoas que entenderam o pedido de Deus em Malaquias 3:10 , quando diz "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes."
Além de terem entendido que Deus quer de nós apenas uma pequenina parte do que temos, atendem com alegria e com responsabilidade, sem questionamentos, sem murmurações, sem desconfianças... Sabem que estão fazendo o que deve ser feito, e que com aquela pequena parcela de ajuda, estarão contribuindo para a manutenção e o crescimento da Igreja, que é o meio que Deus tem usado para salvar tanta gente das garras do diabo.

Quanta gente tem recebido a cura, a salvação, a libertação, o conhecimento da Palavra! Quantas família têm sido restauradas, quantos jovens têm sido resgatados das drogas, da prostituição e do mundo do crime! Quantas pessoas não vivem mais na miséria, na fome ou na escravidão, nos vícios, por causa do amor de muitos em dar as suas ofertas e seus dízimos!
Portanto, amadas, é necessário pensarmos seriamente se queremos ou não colaborar com Deus, para que suas obras continuem sendo feitas, inclusive em suas própria vidas e de seus familiares.

Assim diz Deus em Ex 35:21-22:
"E veio todo homem cujo coração o moveu, e todo aquele cujo espírito o estimulava, e trouxeram a oferta alçada do Senhor para a obra da tenda da revelação, e para todo o serviço dela, e para as vestes sagradas. Vieram, tanto homens como mulheres, todos quantos eram bem dispostos de coração, trazendo broches, pendentes, anéis e braceletes, sendo todos estes jóias de ouro; assim veio todo aquele que queria fazer oferta de ouro ao Senhor."

 

A FELICIDADE ESTÁ AO SEU ALCANCE!

8:54, 8/10/2009

8 comentários

centralizar

"O QUE SEMEIA A BOA SEMENTE É O FILHO DO HOMEM" Mt 13:37"


A certa altura de minha vida me dei conta de que nada do que fiz ou viesse a fazer tinha a menor importância para mim. O vazio que havia em meu coração era tão grande, insuportável e visível, que qualquer pessoa com um mínimo de discernimento espiritual podia enxergar a quilômetros, bastava ver meus olhos, "a janela da alma". Por vezes eu evitei olhar nos olhos de um sacerdote ou de alguém com dons espirituais, qualquer que fosse a sua religião. Evitei os olhos de meus pais, para não fazê-los sofrer. Tinha certeza de que perceberiam facilmente que em meu interior havia uma alma agonizante, gemendo de angústia e desespero, por não ter encontrado nada que me desse a sensação de felicidade e prazer. Eu tinha muita vergonha daquilo, e não queria que soubessem o que se passava comigo.

Quando completei meus 25 anos de idade, alguém com quem eu trabalhava, percebeu tudo e tomou uma atitude corajosa: veio a mim e falou rapidamente de Cristo. Perguntou-me se eu o conhecia, se eu queria aceitá-lo em minha vida. No primeiro momento achei uma ousadia aquele colega de trabalho chamado João Bosco, hoje Pastor, me abordar no corredor de uma repartição pública para me fazer aquela indagação ("os justos são ousados como um leão." Pv 28:1).
Mas alí mesmo, com uma pergunta simples e direta, foi plantada uma semente em um coração triste e sedento de Deus. Para um coração tão vazio, uma pequenina semente já causa um efeito enorme. Entendi o recado e aceitei a Cristo como meu Senhor e Salvador. ("E os que recebem a semente em boa terra são os que ouvem a palavra e a recebem, e dão fruto." Mc 4:20). Daquele momento em diante, nunca mais passei um só dia sem perguntar, buscar, ler, estudar, aprender, conhecer mais acerca de Cristo, esse Deus maravilhoso que faz com que o meu coração transborde de tão cheio da sua graça. ("A vossa tristeza se converterá em alegria."João 16:20)

E você, amada, com qual desses dois personagens você se identifica? A pessoa de alma angustiada, triste e abatida, ou a pessoa ousada, corajosa e semeadora? Seja qual for o lado que vc esteja agora, eu oro a Deus que este meu testemunho seja uma boa semente plantada na sua vida, e que ela seja regada pelo Espírito Santo de Deus e que venha a produzir bons frutos dentro de você. ("Inclina o teu ouvido e ouve as palavras dos sábios, e aplica o teu coração ao meu conhecimento." Pv. 22:17).

A arte de recomeçar.

7:37, 6/10/2009

3 comentários

centralizar
“A grandeza humana não está na coragem com que recebemos os infortúnios, nem quando enfrentamos com heroísmo os momentos mais difíceis. A grandeza está na nossa capacidade de prosseguir”.


Esta frase estava escrita num cartaz afixado em algum lugar público por onde passei. Li por várias vezes e, depois de analisá-la, não pude concordar 100% com ela. Eu acredito que haja, sim, nobreza humana na coragem e no heroísmo com que enfrentamos as adversidades, mas a frase me fez refletir sobre o quanto é difícil o recomeço para qualquer ser humano, depois de atravessar um momento trágico na vida. Mais nobre é aprender a dar a volta por cima e recomeçar! Posso aqui enumerar uma porção de coisas que nos abalariam hoje e que poderiam nos deixar sem forças para recomeçar e prosseguir a caminhada, mas isto nem é necessário, todos sabemos muito bem o que é a dor de uma perda, seja ela qual for, material ou humana.


A perda de um emprego, do imóvel onde moramos, do carro que não conseguimos pagar ou de qualquer outro bem material, pode abalar bastante uma família inteira, que encontrará dificuldades para reorganizar a vida depois. Já a perda de uma grande amizade, de um amor que não deu certo ou mesmo a morte de alguém com quem convivemos e amamos, nos abalam a ponto de pensarmos que aquilo é motivo mais que suficiente para desistirmos de lutar e de continuarmos a viver. Algumas pessoas desejam até a morte.


Sem dúvida, não é fácil não! Só quem já viveu grandes perdas pode saber como é difícil um recomeço, mas eu garanto que se estão aqui para contar a história, é porque de alguma forma ou de outra enfrentaram e não se entregaram à dor. Se foi com heroísmo ou não, não importa, prosseguiram. O que temos que reconhecer é que durante aquele momento de dor extrema, no ápice do sofrimento, Deus estava lá, bem juntinho, ajudando a passar pela luta. Em nenhum momento estivemos sozinhas, podem ter certeza. Por que então o Senhor não estaria conosco no recomeço de tudo? O segredo para um bom recomeço é olhar para o alvo, que é Cristo, e seguir a vida de mãos dadas com Ele.

“Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo.” Isaías 41:13

O que é riqueza para você?

7:23, 6/10/2009

1 comentários

centralizar

Recentemente soube que uma grande amiga que não vejo há anos decidiu que o melhor para a sua vida seria desfazer seu casamento de quase 20 anos, ir embora para bem longe e buscar por ela própria a felicidade de que tanto falam por aí. Aqueles anos todos de privações e de dificuldades financeiras a fizeram entender que seu esposo, um homem de Deus, íntegro, fiel, carinhoso, muito trabalhador e apaixonado por ela e pelos 3 filhos, jamais poderia lhes dar a "boa vida" que sempre desejou. Decidiu que indo embora, aquilo tudo acabaria e como encontrou o apoio e a acolhida de alguns parentes, tudo ficou bem mais fácil. Resultado: um lar desfeito, filhos divididos e infelizes, esposo ferido e frustrado, Deus decepcionado. Impressionante o estrago que faz tal atitude, quando alguém está redondamente enganado quanto ao verdadeiro significado de"felicidade".

No dicionário está assim: FELICIDADE: Estado de quem é feliz, Ventura, Bem-estar, Contentamento, Bom resultado, Ápice da Satisfação interior, Alegria Extrema, Bem-aventurança.

Cristo ensinou nas bem-aventuranças que a felicidade não depende do que possuimos, mas do que somos. Tal felicidade não é importada de fora mas nasce na alma de todos os verdadeiros filhos de Deus. Todas as bem-aventuranças de Cristo são contrárias a opinião comum. O conceito dos homens é que são felizes os ricos, os honrados no mundo; os que passam sua vida aqui alegres; os que comem gulodices e se vestem bem. Mas o Senhor veio corrigir esse erro fundamental; veio para chamar os homens à felicidade que é permanente e verdadeira.

É um grande engano (e muito perigoso também) pensar que podemos enfrentar Deus assim, e que isto não terá uma consequência triste depois. Onde está o temor de Deus? Onde está o respeito por aquilo que o Senhor mais preza neste mundo, que é a família? Acima de todas as coisas está o lar que Ele nos deu, e se as coisas não foram bem financeiramente durante tantos anos assim, certamente que não lutamos da forma correta para consertar a situação. Por acaso Deus negaria a prosperidade a uma família que luta por ela com o esforço de todos, com honestidade e sem avareza? É claro que não. Mas temos também que entender que mesmo conquistando tudo o que desejamos, como quer a minha amiga, jamais poderemos ser felizes tendo uma família desfeita.

Veja o que diz Eclesiastes 2: 4-11
  "Fiz para mim obras magníficas; edifiquei para mim casas; plantei para mim vinhas.
  Fiz para mim hortas e jardins, e plantei neles árvores de toda a espécie de fruto.
  Fiz para mim tanques de águas, para regar com eles o bosque em que reverdeciam as árvores.
  Adquiri servos e servas, e tive servos nascidos em casa; também tive grandes possessões de gados e ovelhas, mais do que todos os que houve antes de mim em Jerusalém.
  Amontoei também para mim prata e ouro, e tesouros dos reis e das províncias; provi-me de cantores e cantoras, e das delícias dos filhos dos homens; e de instrumentos de música de toda a espécie.
  E fui engrandecido, e aumentei mais do que todos os que houve antes de mim em Jerusalém; perseverou também comigo a minha sabedoria.
  E tudo quanto desejaram os meus olhos não lhes neguei, nem privei o meu coração de alegria alguma; mas o meu coração se alegrou por todo o meu trabalho, e esta foi a minha porção de todo o meu trabalho.
  E olhei eu para todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também para o trabalho que eu, trabalhando, tinha feito, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito, e que proveito nenhum havia debaixo do sol."

Jovens cristãos Corajosos

6:44, 5/10/2009

0 comentários

 

Nosso tempo é insensível aos valores morais, familiares e espirituais. Todos sofrem os impactos das mudanças que a cultura globalizada e a massificação imprimem sobre nosso viver. Essas marcas podem ser vistas de maneira clara e particular na vida dos jovens. Por isso o apóstolo do amor encoraja os crentes a observar os valores cristãos. A preocupação joanina tem fundamento: “o mundo jaz no maligno”. O teólogo Karl Bart, diz:

“A inquietação - a ansiedade que nos espreita em toda criação não vem desta ou daquela dor, deste ou daquele horror, anseio, ou por alguma falta de beleza; nem provém da totalidade das coisas imagináveis que lhes possam dizer respeito diretamente, porém, vem da própria condição da criatura. Essa inquietação tem a sua origem no declarado deserdamento da vida direta e na insopitável esperança que a criatura tem”.

João está preocupado com os jovens cristãos. Ora perdidos, agora, salvos mediante a cruz de Cristo. Seu desejo era de que os jovens permanecessem fundados na verdade: “já vencestes o maligno”. Pelo poder do evangelho, eles tiveram suas vidas mudadas de pessoas entregues às paixões e concupiscências da carne para servos do Deus Santo. Os jovens podem e devem subjugar as forças carnais e canalizá-las para o padrão bíblico que produz frutos aceitáveis ao Senhor: “a palavra de Deus habita em vós”.

Exercício espiritual importante é a oração. Nosso tempo não dá tempo, dizem alguns. É verdade, o mundo tenta nos escravizar quanto às atividades urgentes e não podemos ao menos contemplar o belo, porque não há tempo. Ao lado dos cuidados que temos com a vida, para sermos vitoriosos temos de colocar “tudo diante do altar”. Ao fazê-lo, devemos deixar espaço para que o Espírito Santo fale aos nossos corações. Oração é diálogo e não monólogo. Somente através dela Charles Hummel conseguia alivio à sua alma, e escreveu:

“Um período de tempo diário adequado para esperar em Deus... é a única maneira pela qual posso escapar da tirania das coisas urgentes”.

Outra ferramenta básica para continuar vencendo o maligno é a leitura da Palavra. Nesta indicação, João dá uma chave importante: “...e a palavra está em vós...”. Em seu evangelho, o apóstolo, ao transcrever um discurso do Mestre, afirmou que, em estando em Cristo e, se suas palavras estiverem presentes nas vidas das pessoas, pode-se até pedir tudo, segundo a vontade de Deus, que será realizado.

Ora, em toda a apresentação da Bíblia há uma homogeneidade quanto ao valor da verdade como revelação especial de Deus ao homem. O salmista atestou que escondeu a Palavra em seu coração para não pecar contra o Senhor. Ter a Palavra guardada no coração é arma de valor imensurável para se vencer “este mundo tenebroso”. É preciso saturar a mente com as coisas do Reino.

Quantas informações recebemos durante o dia, através dos canais tecnológicos e humanos? Muito provavelmente, a maioria delas não tem o aval do Senhor santo e justo. É na Palavra de Deus que temos assegurado conhecer a vontade do Senhor. Devemos amar a Bíblia. Nela meditar. Dela obedecer a seus ditames. Martinho Lutero, o reformador alemão do Século XVI, tinha uma paixão tão grande pela Bíblia, que “virou” o mundo de seus dias de ponta-cabeça (coisa de jovem...), através da renovação que a Palavra lhe produziu. Ele a amava e declarou o seu amor:

“O que o pasto é para o rebanho, a casa para o homem, o ninho para o passarinho, a penha para a cabra montês, o arroio para o peixe, a Bíblia é para as almas fiéis”.

O jejum é outra ferramenta adequada. No mundo europeu e na América, onde já há mais problemas com a obesidade do que com a fome; tirar um momento para jejuar parece algo tão inusitado, estranho, que não se dá mais o valor que lhe cabe.

Ao dedicarmos ao jejum, principalmente aquele de Isaías capítulo cinqüenta e oito, das coisas desagradáveis, Deus opera em nós, pois estamos a declarar que o Senhor reina em nosso viver, que valorizamos a comunhão com o Senhor de Todas as Coisas, em detrimento dos valores, padrões e ditames mundanos.

É preciso exercitar estas ferramentas para que obtenhamos vitória em nossa caminhada. Empiricamente, todo aquele que sucumbe na vida espiritual, deixou os exercícios destas ferramentas.

Parece-nos desnecessário, descabido e até impossível viver uma vida de vitória sobre a carne, mundo e Satanás. Embalados por esta idéia, alguns, não poucos, têm vivido à risca, o que o famoso poeta português Luís de Camões deixou escrito: “Coisas impossíveis, é melhor esquecê-las que desejá-las”.

Entretanto, João, nesta passagem, menciona pessoas que haviam vencido o maligno e vencido sua doutrina, vencido seu modo de vida maligno, convites, fantasias - máscaras haviam sido descobertas. Jovens que venceram a estratégia de Satanás em tornar frio o que estava quente - pelo Criador; em tornar escuro o que se produziu em luz; em odiar, quando o amor era o imperativo. Jovens visionários num mundo mau, mas, vencendo os problemas e dificuldades pelo exercício da fé em Cristo, alcançada pelo sacrifício na cruz, pela justificação, regeneração e autêntica santificação.

Não era somente saborear a vitória que ocorreu no passado, mas continuar a vencer. João estava diante de pessoas que venceram o mundo mau de sua época. Cada era reserva dificuldades adequadas. Jovens que eram fortes, porque estavam municiados com a Palavra de Deus. Se o mundo gentílico, dado às orgias dos tempos de João pôde ser vencido, nosso tempo, desprovido de nobreza e escasso de bons valores, apesar de toda a liberdade conquistada a partir da revolução francesa, também o pode ser. O Senhor está conosco e tem o controle de todas as coisas. 

David Brainerd foi um jovem visionário que, no século XVIII, deixou as facilidades de seu tempo e embrenhou-se pelo interior a pregar aos Navajos americanos. Depois de alguns anos, por causa de seu ministério, já fraco, doente, preparando-se para estar com Cristo, deixando uma noiva que o amava, declarou ao seu irmão que o assistia na “hora da morte” - Israel Brainerd, o seguinte: “Digo, agora, morrendo, não teria gasto a minha vida de outra forma, nem por tudo que há no mundo”. Ele tinha apenas vinte e nove anos de idade.

Jovens dignos num mundo indigno. Jovens fortes que vencem o maligno. Jovens firmados na Palavra, produzindo frutos para a vida eterna. Continuem a ouvir o belo e sábio conselho de João.

Desgraça x graça

4:15, 5/10/2009

1 comentários

centralizar


Isto é muito sem graça. Na verdade, não é possível achar graça na desgraça. Só os criadores da desgraça acham graça na desgraça.

Deus enviou seu Filho para nos mostrar sua Graça inteiramente de graça.

Ela não é uma graça "alcançada", é "lançada" a nós; ela não é conseguida: é concedida.
Ele invade a cultura da desgraça com sua graça.

  • Primeira CULTURA DA DESGRAÇA:

- pobreza: o minimalismo alimentar: pão e vinho era comida pobre.


- violência: o prognóstico da cruz fez Jesus falar em dar sua carne e seu sangue por seus amigos, no dizer do evangelho de João.


- fuga: estavam em um lugar recluso, seguro, quase secreto.


- traição: alguém pegaria o pão da travessa junto com o Mestre e se denunciaria.


- dúvida: diante da palavra do Mestre os discípulos mergulham na dúvida: "porventura sou eu, Senhor?".


- esquecimento, distração: se não fosse o Mestre tomar providência, a Ceia não se realizaria, pois eles devem ter-se esquecido completamente da data.


- sofrimento: havia, há vários dias, a expectação de sofrimento, desde que
o Mestre lhes avisara, quando de caminho para Jerusalém, a respeito disto.


- ferimento: quem se lembrasse do texto de Isaías 52-53, saberia que ele seria ferido e oprimido.


- despedida: v. 16 e 18 contêm as palavras "nunca mais".

 

  • Mas há, também, na Ceia a VISÃO DA GRAÇA DIVINA. Graças a Deus, a desgraça não bloqueia o caminho da graça, nem impede seu aparecimento. Ei-la:


- hospitalidade: o homem com o jarro de água tinha um lugar ótimo para hospedar Jesus em sua Ceia com os discípulos. Podemos imaginar os discípulos falando-lhe ao ouvido o recado do Mestre "Onde é o lugar?"


- desejo / anseio: só Lucas registra o finura de afeto de Jesus: "Tenho desejado ansiosamente comer com vocês este jantar". Há um toque intimista e muito profundo aqui. Hoje ainda corremos o risco de praticar a negação do desejo, a supressão do anseio, o que empobrece gravemente a vida humana. Mas o desejo de Jesus está bem presente na Ceia e isto é Graça Visível.


- memória / anamnese: é esta mesma palavra que está no texto grego. Jesus quer que esta Ceia seja nossa revivescência dele todas as vezes que a celebrarmos.


- comunhão: a graça está presente na referência "convosco"/ "com vocês". Ele queria que se olhassem uns nos outros bem no rosto e nos olhos enquanto comessem, para marcarem a presença do grupo. Isto não tinha preço!


- alimento / jantar: era pobre, como vimos, mas era o jantar deles. Um pouquinho para cada um, mas havia para todos. A marchinha antiga: "Sapato de pobre é tamanco; almoço de pobre é café". Mesmo um tamanco é um sapato para o pobre"; um simples cafezinho poderia ser um almoço para o pobre.


- surpresa: os esquecidos se surpreendem, com certeza: "É mesmo!"


- doação: seu corpo e seu sangue eram sua maior dádiva a eles, por amor.


- confiança: este toque era dado pela referência ao Pacto, à Aliança de Deus com seu povo. A oferta precisava ser aceita e a participação deles era o seu "sim".


- oferta: o registro de Lucas não deixa dúvida: "Meu corpo / meu sangue, dado por vós. Tomai, comei / bebei dele todos".


- integração: tomar, comer o que representava o corpo / beber o que representava o sangue do Senhor, significava integrar-se com ele de modo muito real e profundo.


- transfiguração: a realidade estava se transfigurando ali mesmo, pois a participação na Ceia provia novos olhos para os discípulos acessarem a realidade dali pra diante.


- igualdade: o pão devia ser repartido igualmente para todos, bem assim o vinho. Ninguém receberia mais, nem menos.


- visualização: o futuro precisava ser diferente para eles dali em diante.


- fé: sim a fé lhes seria a certeza das coisas que se esperavam e a prova das que se não viam. O mesmo tem de ser para nós.


- amor: aquilo era uma realização do amor divino que ele próprio encarnava. Não mero sentimento, mas um ato real.


- alma: a Ceia não era apenas um ato físico, mas uma realização da alma, algo imperecível e imensurável.

Arena Jov

1:59, 5/10/2009

1 comentários

Centralizar

 

Por Amor a ti somos entregues á morte todos os dias!

 

Olá jovens amados dos Rei, ARENA JOV é um grupo de jovens que vem aumentando e conquistando mais e mais jovens a cada dia que passa. Ensinando a palavra de Deus de uma maneira saudavel e diferente de tudo que já foi visto ou ouviu.

Nosso alvo são CÉLULAS, pequenas reunioes espalhadas pelos bairros da cidade, é um bate-papo entre jovens que dura aproximadamente uma hora, uma vez por semana.

Tratamos de diversos assuntos como: solidão, drogas, ansiedade, sexo, familia entre outros.

Então você está mais que convidado a participar da CÉLULA e do ARENA JOV.

Faça parte desse Movimento Revolucionário!