Criar um Blog
Gerenciar um Blog
Visitar Próximo Blog
Denuncie

PAULA FERNANDES !!!

letras das músicas da paula fernandes!

{ 10:58, 16/7/2011 } { 0 comentários } { Link }

letra das músicas da cantora paula fernandes:

 

Chuva chover

(Paula Fernandes)


Sei que nenhum de nós
Será feliz cultivando uma vida
Sem regar assim

Eu sei que bem lá no fundo
Você também não consegue esquecer
Esse nosso amor

Hoje eu sou um sol que brilha sozinho em qualquer lugar
E você chove em noites vazias sem luar

A gente canta os sonhos
Mas nem sempre podemos sonhar
A gente encanta os outros
Mas nem sempre sabemos amar

Lembra das flores que você regou
A primeira vez que você me beijou
Dizendo pra eu deixar a chuva chover

Se aquela rosa que desabrochou
Não sabe viver longe do seu amor
Então, venha me molhar, fazer a chuva chover

Fazer a chuva chover...
 

Pássaro de fogo

(Paula Fernandes)


Vai se entregar pra mim
Como a primeira vez
Vai delirar de amor
Sentir o meu calor
Vai me pertencer

Sou pássaro de fogo
Que canta ao teu ouvido
Vou ganhar esse jogo
Te amando feito um louco
Quero o teu amor bandido

Minha alma viajante
Coração independente
Por você corre perigo
Tô a fim dos teus segredos
De tirar o teu sossego
Ser bem mais que um amigo

Não diga que não
Não negue a você
Um novo amor, uma nova paixão
Diz pra mim

Tão longe do chão, serei os teus pés
Nas asas do sonho, rumo ao teu coração
Permita sentir, se entrega pra mim
Cavalgue em meu corpo, oh, minha eterna paixão
 

Meu eu em você

(Paula Fernandes)


Eu sou o brilho dos teus olhos ao me olhar
Sou o teu sorriso ao ganhar um beijo meu
Eu sou teu corpo inteiro a se arrepiar
Quando em meus braços você se acolheu

Eu sou o teu segredo mais oculto
Teu desejo mais profundo, o teu querer
Tua fome de prazer, sem disfarçar
Sou a fonte de alegria, sou o teu sonhar

Eu sou a tua sombra, eu sou teu guia
Sou o teu luar em plena luz do dia
Sou tua pele, proteção, sou o teu calor
Eu sou teu cheiro a perfumar o nosso amor

Eu sou tua saudade reprimida
Sou o teu sangrar ao ver minha partida
Sou o teu peito a apelar, gritar de dor
Ao se ver ainda mais distante do meu amor

Sou teu ego, tua alma
Sou teu céu, o teu inferno, a tua calma
Eu sou teu tudo, sou teu nada
Sou apenas tua amada
Eu sou o teu mundo, sou teu poder
Sou tua vida, sou meu eu em você
 

Sem você

(Paula Fernandes / Vitor Chaves)


Nas incertezas de um caminho
Que é tão doído sem você
Eu já me encontrava tão sozinha
Antes de adeus você dizer
Na mágoa de um sonho que acabou
Dia a dia sentia você partir
Sem rumo, perdida vou ficando aqui

Sem você, sem você
Nem o tempo me faz companhia
Não me arranca essa agonia de viver

Sem você, sem você
O silêncio dessas horas frias
São palavras que não sei dizer

Ainda amo você
 

Complicado demais

(Paula Fernandes)


Se algum dia algo te lembrar
E a emoção tocar inteira a face do teu rosto
Não se envergonhe em dizer
Que o ciúme levou o teu amor
E te afastou de vez de mim
E a voz do teu silencio
Não me deixou opção

Acreditei na força do teu querer
Mas o ciúme foi maior que você
Ressentimento cegou minha visão
Aquele amor virou antiga paixão

Te aceito, assim, complicado demais
Também sou assim, complicada demais
E já faz tempo que o tempo parou
Não envelheço à espera do teu amor

Se nos sentimos como a terra e o mar
E o desamor desfez um sonho lindo desse jeito
Feito uma nuvem no céu
Eu não queria mesmo acreditar
Que um ser humano tão sereno
Fosse assim o oposto
A fim de causar confusão

Eu estarei aqui esperando você
Se redimindo do teu erro pra ver
Teus olhos rasos, decididos a voltar
Sem ter ciúme, vem pra mim, vem me amar

Te aceito, assim, complicado demais
Também sou assim, complicada demais
E já faz tempo que o tempo parou
Não envelheço à espera do teu amor
 

Espaço sideral

(Paula Fernandes/Victor Chaves)


“Atenção! Chamando Terra, chamando Terra”

Diretamente do espaço sideral
Viemos juntos numa nave espacial
E nos perdemos numa grande colisão
Com um cometa, coisa sem explicação

Milhões de anos de saudade de você
Somente em sonhos é que você vem me ver
Seja loucura, ou seja coisa do além
Só sei que mesmo sem dormir sonho também

Ei, iê, iê!!!!
Sentimento que nem o tempo apagou
Ô, ô, ô, ô!!!!
Tão distante estou procurando esse amor

Esse amor...
 

Apaixonados pela lua

(Paula Fernandes)


Ontem tive um sonho
Caminhamos entre as nuvens do céu
Desenhamos lembranças de nós dois
Envolvidos no azul do véu

Não ficaremos juntos
Se não soubermos a arte de amar
Esse segredo tão bonito do caminho
Hieróglifos de um livro para decifrar

Na viagem desse sonho
Nossas almas eu vi flutuar
Nas delicadas linhas do infinito
Fomos filhos de um romance, de um amor lunar

Apaixonados pela lua, lua, lua
Cheia de mistérios
Nos finos grãos de areia, mente branca
Segredo e solidão em seus hemisférios

Apaixonados pela lua...
Apaixonados pela lua...
Apaixonados pela lua...
Apaixonados pela lua...

Apaixonados pela lua...

 

Debaixo do cacho

(Paula Fernandes)


Vamos arrastar a chinela, meu povo...

É debaixo do cacho, formosa morena
O tambor, o chocalho que embala a pequena
Debaixo do cacho, tô querendo bis
Tambor toca em todo o país

É gostoso, é tão bom ser feliz
É tão fácil tocar, minha linda, me diz
Teu molejo, o teu gosto, o teu tom
Requebrando as cadeiras
Coração faz tum, tum

É debaixo do cacho...

Envolvendo quem ouve o meu som
Caçador de talentos a cada tum-tum
Tem pra todos o “Deus dançarino”
Tem novo, tem velho, virando um menino

É debaixo do cacho...

Requebra, menina
Sapeca!

É gostoso, tão bom ser feliz...

 

Dança menina

(Paula Fernandes)


O rio vai
Vai, coração, desaguar
No mar
Resta a ilusão de chegar
No oceano de sonhos azuis
Que brota em mim

Águas que correm nas veias, no peito levando
A semente do amor
Seiva repleta de vida
Acende a caldeira, a paixão preparou

Pra pulsar, renascer
Faz crescer a florzinha
Ativa, incendeia
Faz tudo girar

A miragem da lua insinua
Uma dança menina
Que o sol ensaiou

Pra provar que o mundo só é mundo
O oceano só é vivo
Se o rio desaguar
Na viagem até seu destino
Coração menino, mensageiro do mar

Lerelerê, lerelerê...

Mensageiro do mar..

 

Sede de amor

(Marcus Viana/ Paula Fernandes)


Vale se entregar
Nem vem dizer pra mim que não sentiu o cheiro de desejo no ar
É tarde pra inventar
Mil desculpas pra provar pra mim que não queria mesmo me amar
É tarde, muito tarde, deixa estar...

Te sentir, vem pra mim
Quero matar a minha sede e beber da tua seiva, eu vou
Se você for...
Me alimentar do teu poder e me abrigar em teu peito, ainda sou
O teu amor...
Não te contei, mas toda noite os meus sonhos só pedem você, bem aqui...
Pra alegrar o meu sorriso e ser a cura nos momentos de dor
Quero matar a minha sede de amor

No meu sonho navio
Teu amor é farol
O meu porto seguro
No espaço é meu sol

Te sentir, vem pra mim...
 

Quero sim

(Paula Fernandes)


Eu tô com saudade
Da nossa amizade
Do tempo em que a gente
Amava se ver

Eu não sou palavra
Eu não sou poema
Sou humana, pequena
A se arrepender

Às vezes sou dia
Às vezes sou nada
Hoje lágrima caída
Choro pela madrugada

Às vezes sou fada
Às vezes faísca
Tô ligada na tomada
Numa noite maldormida

Se o teu amor for frágil e não resistir
E essa mágoa então ficar eternamente aqui
Tô de volta à imensidão de um mar que é feito de silêncio

Se os teus olhos não refletem mais o nosso amor
E a saudade me seguir pra sempre aonde eu for
Fica claro que tentei lutar por esse sentimento

Diga sim, ouça o som
Prove o sabor que tem o meu amor
Cole em mim a tua cor
Eu te quero, sim, sem dor

Diga sim...
 

Vai

(Paula Fernandes)


Vai, vai buscar pra ti o que o amor te deu
Vai viver o que deixou pra trás
Transforme em sorriso o que você perdeu
Pra felicidade plena conquistar

Vai, vai, vai...

Oh, vai, vai viver de novo o que o tempo levou
Vai se entregar ao que te fez chorar
Vai ser lua nova quando o sol se for
Vai se lembrar que é bom se apaixonar

Vai, vai, vai...

Oh, vai, sem pensar nos limites dos teus sonhos
Vai... deixa rolar, que o nosso amor sabe o rumo

Vai, vai, vai...

Vai, vai buscar pra ti o que o amor te deu...

Vai, vai, vai, vai...
 

Pra que inventaram o amor?

(Paula Fernandes)


Não vai adiantar
Querer tapar o sol
A verdade é que você
Não quer se entregar
À magia de um abraço meu
Aos meus beijos alegrando os teus
Numa fuga incessante
Te vejo voar

Se desfaz dessa paixão
Joga fora a emoção
Insensível faz de pedra
O recanto do amor

Não quer se entregar pra mim
Então, diz: pra que inventaram o amor?
Pra machucar assim?
Tô amando sozinha esperando você

Logo agora que eu descobri
Que os amores não nascem aqui
Vem do além a semente do amor
Coração, terra fértil de flor
 

Jeito de mato

(Maurício Santini / Paula Fernandes)


De onde é que vêm esses olhos tão tristes?
Vêm da campina onde o sol se deita
Do regalo de terra que o teu dorso ajeita
E dorme serena no sereno e sonha

De onde é que salta essa voz tão risonha?
Da chuva que teima, mas o céu rejeita
Do mato, do medo, da perda tristonha
Mas que o sol resgata, arde e deleita

Há uma estrada de pedra que passa na fazenda
É teu destino, é tua senda
Onde nascem tuas canções
As tempestades do tempo que marcam tua história
Fogo que queima na memória e acende os corações

Sim, dos teus pés na terra nascem flores
A tua voz macia aplaca as dores
E espalha cores vivas pelo ar
Sim, dos teus olhos saem cachoeiras
Sete lagoas, mel e brincadeiras
Espumas, ondas, águas do teu mar

De onde é que vêm esses olhos tão tristes?
Vêm da campina onde o sol se deita
De onde é que salta essa voz tão risonha
Dorme serena no sereno e sonha...

Dorme serena e sonha

 

Meu eu em você - versão acústica (bonus)

(Paula Fernandes)


Eu sou o brilho dos teus olhos ao me olhar
Sou o teu sorriso ao ganhar um beijo meu
Eu sou teu corpo inteiro a se arrepiar
Quando em meus braços você se acolheu

Eu sou o teu segredo mais oculto
Teu desejo mais profundo, o teu querer
Tua fome de prazer, sem disfarçar
Sou a fonte de alegria, sou o teu sonhar

Eu sou a tua sombra, eu sou teu guia
Sou o teu luar em plena luz do dia
Sou tua pele, proteção, sou o teu calor
Eu sou teu cheiro a perfumar o nosso amor

Eu sou tua saudade reprimida
Sou o teu sangrar ao ver minha partida
Sou o teu peito a apelar, gritar de dor
Ao se ver ainda mais distante do meu amor

Sou teu ego, tua alma
Sou teu céu, o teu inferno, a tua calma
Eu sou teu tudo, sou teu nada
Sou apenas tua amada
Eu sou o teu mundo, sou teu poder
Sou tua vida, sou meu eu em você

 

Quando a chuva passar (bonus)

(Ramon Cruz)


Pra que falar
Se você não quer ouvir?
Fugir agora não resolve nada

Mas não vou chorar
Se você quiser partir
Às vezes a distância ajuda
E essa tempestade um dia vai acabar

Só quero te lembrar
De quando a gente andava nas estrelas
Das horas lindas que passamos juntos
A gente só queria amar e amar

E hoje eu tenho a certeza
A nossa história não termina agora
Porque essa tempestade um dia vai acabar

Quando a chuva passar
Quando o tempo abrir
Abra a janela e veja, eu sou o sol
Eu sou céu e mar
Eu sou céu e fim
E o meu amor é imensidão

...


{ Postar um Comentário }

{ Última Página } { Página 3 de 15 } { Próxima Página }

Sobre Mim

Home
Perfil
Arquivos
Amigos
Álbum de Fotos

«  September 2014  »
MonTueWedThuFriSatSun
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930 

Links


Categorias


Últimos Posts

ultimas!!!
paula fernandes na eXPOMONTE 2011
letras das músicas da paula fernandes!
discografia da paula fernandes!
buato sobre ex-namoro de paula fernandes!

Amigos

Clebonne