Criar um Blog
Gerenciar um Blog
Visitar Próximo Blog
Denuncie

Biomedicina Home | Perfil | Arquivos | Amigos

Caso Clínico: 1- Tratamento de Degeneração da Cartilagem1/10/2010

Sabe-se que lesões na cartilagem são de difícil regeneração, a maioria dos relatos de indivíduos com esse tipo de lesão estão relacionados a problemas nas articulações do joelho. Essas lesões são especificamente conhecidas como osteoartrite, uma doença crônica associada com dores na articulação.

Recentemente a engenharia de tecidos tem dado grandes passos tanto nos estudos realizados em laboratório como também na prática clínica. É possível observar isso em publicações recentes, como no estudo realizado por Peter et al. em 2008.

Para esse estudo foram selecionados 19 pacientes (8 mulheres e 9 homens) com diagnóstico confirmatório para osteoartrite. O principal objetivo do estudo foi verificar a eficácia do BioSeed®-C, um enxerto que contêm condrócitos autólogos de segunda geração em um polímero de fibrina estável e reabsorvível. Os efeitos da inserção do enxerto foram avaliados nesses 19 pacientes durante periodicamente durante quatro anos.

O enxerto foi fixado nas regiões onde havia deficiência de tecido cartilaginoso, com a utilização da técnica de fixação transóssea. O BioSeed® não levou à sinais clínicos persistentes de infecção nas articulações e nem reações alérgicas. Nenhum dos pacientes desenvolveu hipersensibilidade, reações auto-imunes em resposta ao enxerto. O BioSeed® substitui a cartilagem de forma eficiente, de modo que não ocorreu transformação maligna de células, migração de condrócitos, toxicidade, falência de órgãos, desordens renais ou hepáticas  e nem defeitos reprodutivos e teratogênicos.

No ponto de vista funcional, esse tecido produzido em laboratório demonstrou ser eficiente na melhora da maioria dos pacientes submetidos ao enxerto, embora em alguns pacientes a regeneração tenha sido apenas de 50%. É possível observar isso nas imagens de ressonância magnética realizadas antes da fixação do enxerto e quatro anos após a fixação do mesmo:

   

 

Figura 1. Imagens de ressonância magnética (RM) tiradas antes e depois da fixação do enxerto. (a) A RM retirada antes da fixação BioSeed®, a área circulada identifica a região degenerada da cartilagem do côndilo femoral medial.(b) Após o enxerto de BioSeed® consegue-se preencher as áreas do côndilo femoral medial melhorando o quadro clínico do paciente.(c) Uma RM também realizada antes da fixação com ioSeed®, a área circulada identifica a região degenerada na patela.(d)Após a fixação BioSeed® percebe-se uma reconstituição da cartilagem.

 

 O BioSeed® mostrou-se bem seguro - pois não se desenvolveu qualquer resposta inflamatória a esse enxerto - e também eficiente, pois conseguiu simular de forma similar a funcionalidade do tecido cartilaginoso de origem. Além disso, o estudo ainda destaca que o BioSeed® pode ficar estável por um período de 4 anos. Esse estudo junto a muitos outros, têm apontado uma realidade terapêutica cada vez mais próxima da realidade e possivelmente em uma dimensão ainda mais complexa, como o tratamento de lesões mais extensas e agressivas, o que exigiria ainda mais acurácia do bioprocessamento de células-tronco e bioenxertos.

 

Referência Bibliográfica:

 

Treatment of focal degenerative cartilage defects with polymer-based autologous chondrocyte grafts: four-year clinical results.
 


Post 5 de 5
Última Página | Próxima Página