Criar um Blog
Gerenciar um Blog
Visitar Próximo Blog
Denuncie

CRAS 1 Araguari MG

Trabalho com famílias

09:22 PM, 3/2/2010 .. Postado em Material Didático .. 0 comentários .. Link

METODOLOGIA DE TRABALHO COM FAMÍLIAS NA ARTICULAÇÃO
PBF/PAIF

Lúcia Afonso/Junho de 2006

 

O TRABALHO COM FAMÍLIAS

  

         Ênfase: proteção/desenvolvimento dos membros;

         Relação com contexto sócio-cultural é fundamental para cumprimento das funções da família;

         Cotidiano e processo de autonomia:

         Respeito à diversidade: cultural, familiar.

         Participação das famílias e da comunidade.

 

 

Objetivos

         Superação das dificuldades no cumprimento das condicionalidades do PBF;

         Promoção de inclusão na rede de proteção social, serviços, programas, projetos, benefícios sócio-assistenciais e demais políticas sociais nos municípios;

         Participação comunitária e desenvolvimento familiar: capacidades comunicativas, relacionais e de ação cooperativa em famílias e grupos;

         Divulgar informações sobre o PBF e a Política de Assistência Social visando  compartilhamento de objetivos e ações com a comunidade.

 

Diretrizes

         Todas as famílias do território de abrangência do CRAS: prevenção das situações de risco;

         Famílias em descumprimento das condicionalidades: superação de dificuldades e  inclusão nos serviços (saúde, educação, assistência social);

         Respeito às famílias e participação;

         No trabalho socioeducativo: articular informação, reflexão e desenvolvimento de habilidades e capacidades;

         Propiciar o desenvolvimento de ações intersetoriais;

         Potencializar binômio família/comunidade.

 

Metodologia de trabalho com famílias: Procedimentos

         Definição de técnico de referência;

         Busca ativa das famílias;

         Acolhimento às famílias no CRAS;

         Entrevista com a família;

         Visitas domiciliares;

         Grupos.

 

 

Metodologia de trabalho com famílias: Estratégias Interligadas

         ACOMPANHAMENTO EM GRUPOS DE FAMÍLIAS;

         ACOMPANHAMENTO INDIVIDUALIZADO DE FAMÍLIAS.

         (Comunidade: desenvolvido em outro tópico)

 

 

 

 

ACOMPANHAMENTO EM GRUPOS DE FAMÍLIAS

        GRUPO: instrumento de promoção das famílias e da comunidade.

         Dimensões: convivência, reflexão e ação.

         Informar, Formar, Transformar.

         Três Tipos De Grupo Em Um Trabalho Interligado:

°         Grupo Sócio-Educativo,

°         Grupo de Convivência Familiar,

°         Grupo de Desenvolvimento Familiar.

 

Grupo Sócio-Educativo

         INFORMAÇÃO

-          articulação com o trabalho comunitário;

-          temas e atividades de interesse das famílias;

-          todas as famílias mas prioridade para as que  não estão cumprindo as condicionalidades;

-          participação opcional.

         90 minutos em média, ou tempo adaptado.

         Mensal, contínuo, média 50 famílias, aberto, rotativo.

Grupo de Convivência Familiar

-          CONVIVÊNCIA/Sociabilidade: fazer, seguir e transformar  regras; comunicar e argumentar; cooperar;  resolução não-violenta de conflitos.

-          Temas e Atividades: interesse do grupo;

-          Articular com uma atividade  prática: possível;

-          Participação: responsável e também outros familiares;

-          Encontros semanais/quinzenais com até 30 participantes (estáveis) e coordenação (estável);

-          Vínculo grupal e do grupo com o coordenador;

-          Média: 90 minutos ou adaptado à atividade.

Grupo de Desenvolvimento Familiar

         REFLEXÃO: Além da dimensão cognitiva, envolve problematização e compreensão da experiência e das atitudes no cotidiano.

-          Promoção da comunicação, troca de experiências;

-          Associação com atividades práticas é possível;

-          Semanal/quinzenal, 15 participantes (vínculo), responsável ou outro familiar, média 90 minutos, em torno de 10 encontros;

-          Condução COM o grupo, planejamento flexível;

-          Foco, temas-geradores, técnicas lúdicas e comunicativas.

 

Plano de ação e dinâmica do acompanhamento com grupos de famílias

         3 tipos de grupos, funcionamento concomitante e contínuo;

         Adaptação às características locais.

         Planejamento:

         Um grupo sócio-educativo, mensal e contínuo;

         Pelo menos um grupo de convivência familiar, semanal/quinzenal, contínuo/tempo delimitado; e

         Pelo menos um grupo de desenvolvimento familiar, semanal, a cada dois meses.

 

Formação e Encaminhamento aos Grupos

         Famílias do território mas PRIORIDADE para aquelas com maior vulnerabilidade e descumprimento de condicionalidades;

         Dificuldades: habilidades de comunicação: Grupo de Convivência Familiar;

         Dificuldades/Demandas específicas: Grupos de Desenvolvimento Familiar, inclui grupos de capacitação e produção.

 

Término do acompanhamento em grupos

         De acordo com o grupo:

-          GSE: contínuo, cada encontro é independente

-          GCF: Constante, varia o grupo. Participa entre 4 meses a 12 meses.

-          GDF: Tempo acordado entre participantes. Em torno de 10 encontros.

 

 

ACOMPANHAMENTO INDIVIDUALIZADO DA FAMÍLIA

 

-          Processo de desenvolvimento familiar: fortalecer e apoiar a família no enfrentamento de vulnerabilidades, na potencialização de suas capacidades e no desenvolvimento de sua autonomia, atuando sobre o cumprimento das condicionalidades.

-          Prioritariamente: famílias que não estão cumprindo as condicionalidades e famílias com alto grau de vulnerabilidade. Aceitação da família é fundamental.

-          Acompanhamento familiar não suspende cronograma de aplicação de sanções. Manter coerência entre os dois processos.

 

Processo de Acompanhamento

-          Seqüência de 01 a 08 encontros, de acordo com a avaliação do técnico de referência junto com a família.

-          Espaçamento planejado com a família considerando os prazos oficiais e as necessidades da própria família.

-          Articulação com encaminhamentos à rede de serviços e aos grupos de acompanhamento familiar.

 

Etapas do Acompanhamento da Família

 

         1ª etapa - Identificação e discussão da situação da família;

         2ªetapa- Contato com família: entrevista/visita domiciliar

o   conhecer o cotidiano da família; vínculo técnico-família;

o   conversar sobre o recebimento da advertência, se for o caso;

o   reiterar a importância da participação da família; 

o   oferecer apoio: acompanhamento individualizado e grupal;

         3ª etapa - Entrevista diagnóstica;

         4ª etapa - Plano de Ação:

o   Inserção na rede de proteção social;

o   Entrevistas de Acompanhamento (recursos lúdicos); e

o   Participação em trabalho de grupos e/ou comunidade; 

         5ª etapa - Término do Acompanhamento;

         6ª etapa - Comunicação do resultado ao gestor do PBF.

 

         FAMÍLIA: rede de vínculos dentro de contexto sociocultural;


Deixe um Comentário

{ Última Página } { Página 12 de 18 } { Próxima Página }

CRAS

Página Inicial
O que é o CRAS?
Território
Ficha Técnica
Atividades
Eventos do Mês
Álbum de Fotos

Links

MDS
Rede Psi
POL
Prefeitura Ari
blogspot CRAS 1

Categorias

CRAS Atividades
Curiosidades
Dinâmicas
Material Didático
Notícias
Para rir

Últimos Posts

Bem Vindo!
12 de Junho - Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil
Eventos
Dia Mundial do Meio Ambiente
Parcerias - Acadêmicos da faculdade de Medicina/UNIPAC

Amigos