Criar um Blog
Gerenciar um Blog
Visitar Próximo Blog
Denuncie

Educador do 1º ao 5º ano

EDUCADOR CONCIENTE...

05:18 PM, 8/6/2012 .. 0 comentários .. Link



AULA FORA DE PORTUGUÊS

12:10 AM, 8/6/2012 .. 0 comentários .. Link

As letras e o corpo
Planejamento para disciplina de Língua Portuguesa– 1º Ano do Ensino Fundamental I.

Disciplina: Português
Conteúdo: Alfabeto
Tema: As letras e o corpo

Objetivo: 
Reconhecer as letras do alfabeto.

Material:
Giz, cordas ou barbante, caixa de sapato e areia.

Conhecimento Prévio:
Conhecimento das letras do alfabeto

Atividade Motivacional: 
Trabalhe com os códigos cursivos em sala de aula antes de iniciar a atividade proposta fora da sala de aula.

Encaminhamento Metodológico: Essa atividade pode ser feita em etapas.
Para que os alunos possam internalizar correta e prazerosamente os movimentos da letra cursiva, é interessante que os experimentem em movimentos grandes, para então chegarem a representá-los nos cadernos.

 Inicie a atividade fazendo-os utilizar todo o corpo. Leve seus alunos para uma área externa à sala de aula.
Após ter apresentado em sala de aula os códigos cursivos do alfabeto, represente com giz no chão e em tamanho grande, um a um em ordem alfabética.
Solicite aos alunos que caminhem sobre cada letra, observando o percurso correto.
Seria interessante uma foto que representasse a situação solicitada, caso contrário, ilustrar...
Assim que todos os alunos caminharem sobre as letras representadas no chão, divida a turma em grupos de 4 alunos e entregue-lhes uma corda. 
Defina que letra cursiva os alunos de cada grupo deverão representar (no chão) utilizando o material entregue.
Em seguida, peça aos alunos que caminhem sobre as letras representadas com corda (se for utilizado barbante, é interessante que estejam descalços), sempre fazendo o percurso adequado (movimento correto da escrita da letra).
Agora, sente os alunos ao chão e distribua as caixas de sapato com areia para cada um.
Nessa etapa cada aluno deverá representar as letras cursivas, fazendo o movimento com os dedos na areia.
Observe se os alunos seguem o movimento correto.
Solicite aos alunos que repitam o procedimento com cada letra do alfabeto, apagando na areia a letra grafada anteriormente para escrever a próxima que está sendo colocada no quadro de giz.

Avaliação:
A atividade proposta acima é um momento de avaliação. Verificar o desenvolvimento do aluno em um espaço fora da sala de aula permite-nos visualizar melhor sua compreensão sobre o tema abordado.

 



Veja a entrevista e a dica de atividades da escritora do livro Educação Infantil

11:57 PM, 7/6/2012 .. 0 comentários .. Link

Construindo ambientes acolhedores


Veja a entrevista e a dica de atividades da escritora do livro Educação Infantil: da Construção do Ambiente às Práticas Pedagógicas, de Cássia Medel

Como construir um ambiente adequado e acolhedor na Educação Infantil? Essa é uma das perguntas que Cássia Ravena Mullinde A. Medel procurou responder em seu livro Educação Infantil: da Construção do Ambiente às Práticas Pedagógicas.

Cássia é pedagoga, escritora, pós-graduada em Supervisão Escolar e em Orientação Educacional. É orientadora pedagógica na EMEI Francisca Pinheiro Teixeira e no C.E. Lameira de Andrade, localizadas no município de Cantagalo (RJ), sua cidade natal. Também é professora de cursos de pós-graduação em Gestão Escolar e Psicopedagogia, como também de Direito Penal e Civil nas disciplinas Projeto Político-Pedagógico e Didática do Ensino Superior.

Em seu livro, como o próprio nome diz, Cássia aborda desde a construção do ambiente até as práticas pedagógicas, preparando de forma adequada e acolhedora, outros locais educativos. A autora fala a respeito do período de adaptação do aluno, organização do currículo, formação para um mundo globalizado e plural, utilização da informática e, também, sobre a importância do contato com os livros na Educação Infantil. Estão inclusas diversas sugestões de atividades e práticas que o professor poderá utilizar na sala de aula e em outros ambientes de aprendizado, como a brinquedoteca e o pátio. "Quando estava escrevendo, fui pensando em tudo o que eu poderia incluir que ajudasse o professor da Educação Infantil a desempenhar o seu papel e colher bons frutos, isto é, oferecer uma educação eficaz e um ensino verdadeiramente de qualidade com resultados produtivos e positivos", ressalta.




Guia Prático para Professores de Educação Infantil

Qual foi o seu principal objetivo ao escrever o livro? 
Cássia Medel - Foi o de levar às instituições de ensino que possuem a Educação Infantil - e aos profissionais que atuam nessa área - uma visão de que é possível realizar um trabalho com crianças de 0 a 6 anos de idade e obter resultados produtivos e positivos a partir do desenvolvimento de estratégias, de maneira organizada e prazerosa. Tudo isso, em um ambiente adequado e harmonioso, para que a educação ocorra de maneira eficaz e o ensino seja realmente de qualidade. 

 

 

Como foi produzi-lo? Quais foram os desafios? 
CM - Essa foi uma tarefa que exigiu um longo período de tempo, como resultado de muito estudo, observações, experimentações e fruto de minha experiência em atuar há quase três décadas com alunos e professores da Educação Infantil, como professora e orientadora pedagógica nas redes municipal, estadual e particular de ensino. 

 Uma das questões abordadas no livro é como construir um ambiente adequado e acolhedor na Educação Infantil. Como fazer isso? 
CM - No primeiro capítulo do livro, falo sobre como criar um ambiente adequado e acolhedor partindo do princípio de que a escola, hoje, deve estar preparada para receber todos os alunos - com e sem necessidades educativas especiais, como, por exemplo, os cadeirantes, os que se locomovem com o auxílio de andador e outros. Outro aspecto a ser considerado é o que diz respeito à segurança da criança ao utilizar o ambiente, além disso, a iluminação, ventilação, higiene e funcionalidade. E como a sala de aula pode ser acolhedora e significativa, de maneira que o grupo se identifique com ela. 

A cada nova turma que chega à escola tem de haver mudanças no ambiente de acordo com o perfil dela ou não? Como planejar isso?
CM - No início de cada ano letivo, o professor deve arrumar a sala de aula: o mobiliário, jogos (incluir novos ou trocá-los por outros). Deve trocar a decoração (enfeites) por uma nova etc. Tudo isso deve ser pensado e organizado de acordo com a faixa etária dos alunos. A sala de aula e outros ambientes da escola devem ser montados e estruturados de modo a acolher e a atender as necessidades e exigências de alunos ativos e curiosos. Além disso, o que deve responder às necessidades de aprendizagem de cada grupo de alunos - aos seus interesses e características, é o planejamento do professor. 

Em sua opinião, quais as principais características que um professor deve ter para trabalhar com crianças da Educação Infantil?
CM - Esse professor deve, antes de qualquer coisa, gostar de crianças pequenas e ser paciente, pois irá lidar diariamente com elas e quando uma delas estiver "nervosa", "agressiva" ou "chorosa", ele precisará acalmá-la, além de ajudá-la a se adaptar ao novo ambiente: a escola, no caso do aluno do Pré I. Outra característica deve ser a de observador atento e cuidadoso, pesquisador e estudioso de temas referentes à Educação, principalmente à Educação Infantil, à Psicologia Infantil, Ética, Artes, Psicomotricidade, Música, Jogos e Brincadeiras, entre outros. Além disso, ele deve ser firme e carinhoso na medida certa e nas ocasiões necessárias. Deve ser dedicado e comprometido com a Educação.

Fonte: Guia prático para professores da educação infantil (revista on-line), editora escala.

http://revistaguiainfantil.uol.com.br/professores-atividades/106/artigo250281-1.asp

 



PLANO DE AULA 3° ANO MATEMATICA

11:55 PM, 7/6/2012 .. 0 comentários .. Link

Plano de Aula

Público Alvo:

Etapa de Ensino: Ensino Fundamental I

Série: 3° Ano

Nº de Alunos: 30 alunos

Descrição do perfil da Classe: A turma é composta por 30 alunos, 16 meninas e 14 meninos com muitas informações trazidas de casa, porém com vontade conhecer sempre mais. Sua interação com a professora, mas que precisa organizar as informações para acrescentar novos conteúdos.

Tempo previsto para o desenvolvimento da aula: 05h/a

Tema da aula: “Trabalhar com os números decimais”.

Justificativa: O sistema de numeral decimal pode ser trabalhado fora da sala de aula. Usando a dicção visual dos estudantes, colocando-os para observar ao seu redor o que pode contar para usar o sistema decimal, fazendo que cada uma veja que tudo envolver matemática. Observando e vendo como elas compreender o conteúdo adquirindo conhecimento para avançar e na aprendizagem para aprofunda no conteúdo, voltando pra sala pra trabalhar com o material dourado.

Disciplina vinculada:Matemática

Objetivo: Construir o conceito de base decimal:

Identificar dezena como grupo de 10 unidade e o valor de cada algarismo na ordem decimal que está ocupando;

Reconhecer a sequência habitual dos números.

Conteúdo: Numeral decimal

Situação didática: Trabalhar com o material dourado, explorando peça por peça.

Comentar com os estudantes:

O material dourado destina-se as atividades que auxiliam o ensino aprendizagem do sistema de numeração decimal – posicional e dos métodos para efetuar as operações fundamentais.

Com o material, propor que os estudantes façam montinhos de 10, explorando a quantidade de dezenas separadas e a quantia solta.

Quantos montinhos de 10?

Quantas unidades soltas?

Qual é o lugar das unidades?

Registrar: Com um montinho de 10 unidades forma 1 dezena.

1 dezena = 10 unidades .

Comentar com os alunos: Na matemática, os números são organizados por meio de ordens (Lugares). Essas ordens são representadas pelos algarismos, que adquirem seus valores de acordo com a posição ocupada.

Atividade 1:

1_ Numa sala de trinta (30) alunos divida em unidades de dez (10) três fileiras.Identificando cada uma quantos meninos e quantas meninas.

2- Vamos compor os números:

15= _______________dezena e _________________unidades

12 = ______________dezena e __________________Unidades

26 = ______________dezena e __________________unidades.



3 ) Qual é o número?Sua tarefa agora será descobrir que operações você pode fazer com os números da coluna 1 que resultem nos números da coluna. Anote em seu caderno as expressões que você pensou. Lembrando que você esta estudando unidade.

a) 32-------- = 30
b) 67----- = 20
c) 19----- = 20
d)11------ =99
e) 95---- =35
f) 98-------- = 25
Recursos: No pátio para fazer a divisão por unidade. Caderno de matemática e material dourado

Cronograma:

07h e 30min. às 8h – 30min.- Ciência

8h e 30 min. às 09h-30min. - Língua portuguesa.

09h- 30min às 9h e 45 min. - Intervalo

09h45min às 10h45 min. - Matemática

10h45min às 11h45 min.- Matemática

Avaliação: Observação e participação;

Organização e realização da atividade proposta.

 Bibliografia:

http://www.igeduca.com.br/salaaula/estudosp/Matematica/AdicaoemN_231_OK_La/qvl.htm

03 de abril de 2012

 



PLANO DE AULA 3° ANO CIÊNCIAS

11:54 PM, 7/6/2012 .. 0 comentários .. Link

Plano de Aula

Público Alvo:

Etapa de Ensino: Ensino Fundamental I

Série: 3° Ano

Nº de Alunos: 29 alunos

Descrição do perfil da Classe: A turma é bastante agitada, com muitas informações devido a facilidade da tecnologia e a convivência familiar.No entanto participa das aulas e gosta de novos desafios,isso contribuem na participação das aulas.

Tempo previsto para o desenvolvimento da aula: 05h/a

Tema da aula: “Organizando os seres vivos em grupos”.

Justificativa: É importante o conhecimento dos seres vivos e seus grupos de seres vivos. Sugerindo aos educando que pesquise imagens e classifique seus grupos.

Disciplina vinculada: Ciência

Objetivo:

·         Compreender que a ciência organiza a diversidade de seres vivos em grupos, de acordo com diferentes critérios;

·         Conhecer a grande variedade de animais que temos na natureza;

·         Conhecer as principais características que definem os animais como vertebrado e, dentro desse grupo, como pertences aos subgrupos dos peixes, dos anfíbios, dos repteis, das aves e dos mamíferos.

 

Conteúdo: A diversidade dos seres vivos e suas características.

 

Situação didática:

·         1° Aula (conversa informal);

·         Apresentar o livro com o tema da aula;

·         Desfrutar dos conhecimentos adquiridos com os estudos;

·         Apresentar com coerência as características semelhantes e diferentes entre os animais.

·         2° Levantamento de conhecimento prévio (oralidade);

·         Como nascem os animais?

·         Você sabe como o corpo dos animais se sustenta?

·         Onde vivem os animais?

·         Como os animais se deslocam?

·         Como os animais se alimentam?

·         O que podemos encontrar de diferente na cobertura do corpo dos animais?

 

Atividade 1:

1 – Vamos jogar baralho e aprender mais sobre a diversidade animal ao mesmo tempo?

a)    Faça um baralho de cartas com imagens dos mais diversos animais.

b)    Faça outro baralho, com cartas que especificam critérios que podem ser usados para agrupar os animais. Por exemplo: animais que têm antenas; animais que têm seis pernas, etc.

c)    Em grupo, comecem a jogar. Antes, leiam as regras: (Cada jogador recebe o mesmo numero de cartas com imagens de animais- Um colega sorteia uma das cartas nas quais há critérios de agrupamento dos animais. – Cada jogador, na sua vez, descarta a carta de um animal que atende àquele critério. - Ganha quem terminar as cartas primeiro.).

2 – Agora,com as cartas do baralho,escolha um criterio para formar um agrupamento.Em seguida,anote o criteiro e o nome dos animais que fazem parte do grupo formado.

Recursos: Tesoura, lápis de cor, papel cartão. Caderno para anotações.

Cronograma:

07h e 30min. às 8h – 30min.- Ciência

8h e 30 min. às 09h-30min. – Ciência

09h- 30min às 9h e 45 min. - Intervalo

09h45min às 10h45 min. - Matemática

10h45min às 11h45 min.- Português

Avaliação: Será no decorrer das atividades propostas, por meio da participação do educando em sala de aula. E os desafios durante a realização do aprender brincando.

 Bibliografia: Aprendendo Sempre

Ciência 3° ano

Rogério G. Nigro

Maria Cristina da C.Campos.

 

 

 



AULA FORA

11:31 PM, 7/6/2012 .. 0 comentários .. Link

Aula fora da sala.

 

 

Objetivos: Tem como objetivo proporcionar o acesso dos estudantes a divulgação e produção de poemas e rimas local. Aproveitando as estimadas arvores da cidade nas quais são pendurados poemas para serem lidos pelos passantes.

Conteúdo: Comunicação entre a produção textual e a escrita.

Etapa: 4º e 5º ano do ensino fundamental.

Tempo estimado: Um mês.

Material necessário: Papel reciclado, impressora, plástico, máquina fotográfica.

Desenvolvimento:

1º etapa: Durante o período de aula fazer leituras diárias para que as crianças desenvolvam sua capacidade de escritores. Orientar as crianças de como vai ser realizado o projeto dar um nome para o projeto. “Como por exemplo.” Poesias sobre os ipês.

2º etapa: reunir professor e alunos fazer pesquisas em livros, revistas sobre as árvores e sua localização, para melhor expor os trabalhos.

3°etapa: Fazer leitura de poemas e rimas de autores locais como Cassiano Nunes.

4º Etapa: Fazer uma visita a uma biblioteca para ter acesso a obras de outros poetas.

5º etapa: Finalização da aula e confeccionar os cartazes para ser fixados nas árvores nos pontos já definidos pelos alunos.

Avaliação: A avaliação será feita durante todo o processo das atividades por meio da participação dos alunos nas atividades desenvolvidas.

 

  

 



AULA - FORA DO AMBIENTE ESCOLAR

09:42 PM, 4/6/2012 .. 0 comentários .. Link

 

AULA-FORA

 

Idéias para trabalhar aula fora com as series do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental:

 

 

 

 

 

 

 

                                   Aula Fora 2 

 

            Aula lá fora é uma série de tv com 15 programas de 30 minutos cada e tem como objetivo a formação continuada de professores da educação infantil, do ensino médio e educação de adultos, com ênfase em aulas-passeio, atividades extra-classe e no estudo de meio.

            Os programas se aprofundam na pedagogia atual, procurando explorar o afeto, a expressão, a autoria e a comunicação das crianças, observando como isso acontecem nas atividades feitas com a classe fora da sala de aula.

 

Os programas Aula lá fora foram exibidos pelas TVs:

 

            O programas da série Aula lá fora são exibidos pela TV Escola (veja a grade de programação) http http://portal.mec.gov.br/tvescola e os episódios estão disponíveis para download em www.dominiopublico.gov.br

Cada programa documenta uma sala de aula de uma escola da rede pública municipal de Santo André, na região do ABC, em São Paulo, e seguem uma estrutura básica: primeiro, o educador define e planeja com seus alunos os conteúdos que serão desenvolvidos na aula passeio.

            Depois, cada turma tem uma "Aula lá fora" diferente: a Pinacoteca, a redação de um jornal, o parque, a usina de reciclagem, a gráfica, a feira do bairro, o posto de saúde, enfim, são 15 Aulas lá fora ao longo da série e nelas as crianças usam várias formas de registros, inclusive uma câmera de vídeo e duas câmeras fotográficas disponibilizadas pela produção da série.

            Na volta à escola, os alunos consolidam, num trabalho coletivo, o que viram e aprenderam durante as atividades.

            Dois apresentadores se revezam indicando os pontos pertinentes que devem ser observados durante as aulas documentadas. Consultores em campo observam o trabalho e propõem encaminhamentos para que as atividades práticas avancem no sentido de uma ação mais viva, na qual os alunos relacionam o que vivenciam nas aulas lá fora com suas vidas. E os próprios professores comentam como suas turmas desenvolveram os trabalhos antes, durante e depois da "Aula lá fora".

            A série Aula lá fora fornece recursos para enriquecer as ações planejadas pelos professores, estimula a interdisciplinaridade e tira os alunos do ambiente fechado da sala de aula, mostrando que uma Aula lá fora é um espaço privilegiado para a formação de conhecimentos e para a elaboração de conceitos.

 

 

 

 

 

 

 

 

As aulas-fora podem ser trabalhadas em sala de aula de diversas formas, como por exemplo, confecção de um cartaz em conjunto, trabalho explicativo, peça teatral, enfim vai depender do objetivo do professor.

 

Bom! Aqui vão algumas dicas de aula-fora para serem trabalhadas com crianças do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental:

 

Visita ao “DETRAN” para a conscientização de um trânsito mais seguro;

Museu  é um lugar muito interessante para o conhecimento de obras;

Teatro oferece espetáculos para maior conhecimento em arte;

O Jardim Zoológico é um ambiente natural onde os alunos poderão ter contato direto com a natureza e conhecer vários tipos de animais.  

 

 



FILMES INDICADOS A ALUNOS E PROFESSORES

09:13 PM, 4/6/2012 .. 0 comentários .. Link

 

Títulos de alguns filmes que podem ser vistos em salas de aula e que transmitam bons ensinamentos e uma boa mensagem !!
 
 
O Prisioneiro do Silêncio
(David´s Mother)

Idioma: InglêsLegendas:
Ano: 1994 (TV)
Duração:.90 min
 
 
Mulher tenta fazer o melhor que pode pelo filho autista, mas uma grande dor invalidava parte de suas conquistas: seu filho estava preso em um mundo que ela não podia atingir. Após resistir durante anos à idéia de mandá-lo para uma instituição especializada em cuidar de crianças autistas, via agora o garoto entrar na adolescência sem que pudesse sentir que, mesmo estando o tempo todo a seu lado, fora a decisão mais acertada.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Como Estrelas na Terra – Toda Criança é Especial”
(Taare Zameen Par – Every Child is Special)
Classificação: Livre
Idioma: Inglês/Hindu
Legenda: Portugûes
Tema: Dislexia
Embora o filme fale diretamente sobre o caso de uma criança, ele é uma mensagem para o mundo sobre o verdadeiro papel de um educador e formação de um novo ser humano – veja que não digo professor, mas educador. Ao afirmar no título que toda e qualquer criança é especial, que são como estrelas na Terra, a proposta é trazer a idéia de que não podemos negligenciar a diversidade e preciosidade dos projetos de gente de nosso mundo, pois são eles que fazem o futuro.
 
 
 
 
 
 
 
 

Um Amigo Inesperado
(After Thomas)
 Idioma: Inglês
Legendas: Português
Ano: 2006
Duração: 93 min
Kyle Gram é um menino frágil que sofre de autismo. Seus pais fazem de tudo para tentar se comunicar com ele, até que um cachorro chamado Thomas consegue criar uma relação com o menino que o ajudará a escapar do seu silêncio.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Meu Filho Meu mundo

(Son-Rise, A miracle of Love

Idioma: Inglês
Legendas: Português
Ano: 1979
Duração: 98 min.
 
Raun parecia um saudável bebê mas, com o passar do tempo, vai ficando claro o porquê de seu ar sempre ausente: ele sofre de autismo. Começa então o comovente e difícil trabalho dos pais para penetrar no mundo particular de Raun. História autobiográfica da família que fundou o método Son-rise.
 
 
 
 
 
 


Entrevista com coordenadora do Ensino Fundamental l

08:40 PM, 4/6/2012 .. 0 comentários .. Link

Entrevista com a coordenadora Edilene

 

 

 

 

 


 

Entrevista com o coordenador pedagógico, tendo como foco o relacionamento entre a teoria e a prática vivenciada na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental.

1. Resumidamente, quais são as suas atribuições?

  • Planejamento coletivo com os professores;
  • Sugerir atividades e projetos;
  • Auxiliar no planejamento e execução das reuniões coletivas destinadas a formação de professores;
  • Organizar atividades extraclasses relacionadas às datas comemorativas;
  • Planejar coletivamente as aulas para reagrupamento e Projetos Interventivos;
  • Apoiar o professor em suas necessidades, quando solicitado.

 

2. Como se organiza o trabalho didático da escola (formas de planejamento, definição de procedimentos metodológicos e dos conteúdos que serão trabalhados, organização de projetos...)?

O planejamento acontece quinzenalmente e após planejar na semana pesquisamos e providenciamos o material para concretizar o planejamento.

Os conteúdos seguiram o currículo (versão experimental) oferecido pela Secretaria da Educação.

Os procedimentos são sugeridos e os professores os escolhem.

A organização do Projeto  foi definido em reunião coletiva no inicio do ano e no decorrer do tempo vamos fazendo os ajustes,  pois o projeto e seus procedimentos são flexíveis.

3. Em que espaços e com qual frequência são realizadas as formações docentes? Quais assuntos são mais tratados nesses encontros?

Nas dependências da escola (sala dos professores e sala 08), ás vezes temos formações em outras escolas (auditório). Semanalmente temos reuniões coletivas, destinada à formação.

Os assuntos dependem das necessidades do grupo de professores, o que é predominante é avaliação, psicogêse da leitura e escrita, jogo pedagógicos, estratégia do BIA (Bloco Inicial de Alfabetização), letramento matemático, alfabetização, entre outros.

4. Você acredita que relacionar a teoria que sustenta a proposta pedagógica escolar é pratica utilizado em sala de aula é uma dificuldade encontrada pelos professores? De acordo com sua experiência, porque ocorre essa dificuldade?

Acredito que alguns professores sentem dificuldade de aplicar as teorias pedagógicas utilizadas nos projetos, devido não conhecer a teoria ou apenas se preocupar com a prática pedagógica e não na fundamentação teórica.

Acredito que existem professores que se preocupam em associar a teórica com a prática em que enriquece o trabalho.

Essa dificuldade de relacionar a teórica a pratica, na opinião da coordenadora, se da por falta de formação ou por questões pessoais do professor que, não quer ou não gosta, de trabalhar na linha proposta.

 

 

 

 

 

 



RESUMO DO FILME "Sociedade dos poetas mortos"

09:56 PM, 3/6/2012 .. 0 comentários .. Link

                                                      "Sociedade dos poetas mortos"

 

Resumo "Sociedade dos poetas mortos"

Sociedade dos Poetas Mortos (Dead Poets Society). 1989. EUA. Direção: Peter Weir. Com: Robin Williams, Robert Sean Leonard, Ethan Hawke. Gênero: Drama. Duração: 129 minutos.

RESUMO DO FILME

O filme narra um drama que se desenrola em meados de 1959, em uma tradicional escola preparatória chamada Academia Welton, um modelo de escola marcado por concepções e tradicionalismo.

Nas primeiras cenas, o diretor discursa enfatizando os cem anos da instituição, com o ensino apoiado em princípios como: tradição, honra, disciplina e excelência. Em uma época em que os alunos seguiam carreiras planejadas (impostas) pelos pais e nessas carreiras não tinham espaços para a arte. Isso fica bem marcado numa cena em que o aluno Neil não conseguiu contestar o pai que exige a retirada de suas atividades como redator do anuário escolar.

Contrapondo-se à proposta de ensino estabelecida, o professor Keating (um ex-aluno dessa mesma instituição) introduz um novo ideal pedagógico. Em suas palavras vemos a manifestação do ideário “Carpe Diem”, mas logo os seus métodos de incentivar os alunos a pensar por si mesmo cria um choque com a ortodoxa direção da escola, principalmente quando ele fala a seus alunos sobre a Sociedade dos Poetas Mortos. O professor consegue a feição dos seus alunos e encorajam- os a colocarem para fora o “bárbaro” que habitam neles e propõe atividades marcantes em espaços diferentes. Logo, o professor Keating é um novo ”modelo de educador”, seus atos revelam uma concepção ousada e críticas a educação tradicional.

Os alunos começam a viver o ideário Carpe Diem e formam uma nova Sociedade dos Poetas Mortos, com encontros noturnos em uma caverna nas redondezas da Academia Welton. A proposta é ler e recitar poemas.

O aluno Neil que também faz parte desse grupo é um apaixonado pelas artes e um autêntico autor, mas é ignorado pelo pai (em uma época em que as mães não tinham outra opção além da omissão) que usa argumentos para justificar a pressão sobre o filho, obrigando-o decidir profissionalmente conforme seu desejo. Neil é levado à casa dos pais e comunicado que será retirado da Academia e irá para o colégio militar. O rapaz sem nenhuma condição de retrucar o pai sente se oprimido e impossibilitado de realizar suas metas, comete suicídio. A direção da Academia Welton acusa o professor Keating de ser o responsável pelo suicídio do rapaz, alegando que seu método de ensino incitava os alunos a cometerem atos de rebeldia.

Enquanto o diretor ministra a aula que seria de Keating, ele entra na sala pra retirar os seus pertences e vê uma turma diferente, alienada. No entanto é surpreendido por um de seus alunos que inicia uma manifestação a seu favor, os demais alunos o acompanham subindo na mesa e bradando “O Capitão!Meu Capitão“!

CRITICA DO RESENHISTA

O filme Sociedade dos Poetas Mortos ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original, além de ter recebido outras três indicações as seguintes categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Ator (Robin Williams). Recebeu ainda, quatro indicações ao Globo de Ouro e ganhou o Cesar de Melhor Filme Estrangeiro. É um filme emocionante, que nos mostra de maneira brilhante a profundidade dos sentimentos e das relações humanas. Esta obra nos faz perceber o quanto o papel do professor perante os alunos é importante, pois como educador este deve estimular a formação de cidadãos, mais que isso; que sejam críticos, criativos e pensadores. Faz-se refletir sobre nossas escolhas, e que não se deve desistir de nossos alvos mesmo que sejamos pressionados a isso. A grande lição dessa história é o ideário “Carpe Diem”, como uma nova visão da vida. “O final não conseguiu derrubar o filme”...

 

 

 



INDICAÇÃO DE FILMES PARA CRIANÇAS

09:40 PM, 25/5/2012 .. 0 comentários .. Link

Cinema – suporte pedagógico e de formação continuada

Levar filmes para a sala de aula é uma ótima estratégia para os professores conseguirem discutir com os alunos temas da atualidade, fatos históricos, drogas, saúde, meio ambiente e outros problemas sociais.

Para tanto, o educador deve manter-se em contato com esse tipo de material, garantindo um conhecimento prévio dos mesmos, antes de levá-los para a sala de aula.

É importante o uso desses materiais alternativos, pois serve de motivação para os alunos, levando-os a um índice de concentração maior, bem como do desenvolvimento crítico e cultural.

Os professores podem utilizar esses recursos tanto para trabalhar os conteúdos a ser ministrados com os estudantes, como para complementar sua própria formação.

Algumas sugestões podem auxiliar nesses aspectos, que seguem abaixo:

- Sociedade dos Poetas Mortos - Buena Vista Pictures: conta a história de uma escola com uma visão muito tradicional, que recebe um professor de literatura (Robin Williams) com uma visão diferente da instituição, e motiva os alunos a pensarem por si mesmos;

- Ser e Ter - Mais Filmes: uma escola que reúne em seu espaço todas as crianças de um vilarejo, que se passa em torno de um único professor, do jardim de infância até o último ano do primário (como era chamado na época);

- Nenhum a menos - Columbia Tristar: uma produção cinematográfica asiática, que se passa numa escola de uma pequena aldeia, onde o professor precisa se ausentar por alguns dias e deixa uma adolescente de treze anos para substituí-lo;

- Mudança de Hábito 2 - Buena Vista Pictures: uma cantora famosa (Whoopi Goldberg) retorna para a cidade de São Francisco (EUA) para ajudar sua amiga freira a salvar um colégio de uma vizinhança barra pesada;

- O Sorriso de Mona Lisa - Buena Vista Pictures: uma professora recém-chegada à escola (Júlia Roberts) serve de inspiração para suas alunas, após decidir lutar contra normas conservadoras do colégio;

- Desafiando Gigantes - Sony Pictures: um filme que relata a história de um treinador que, após fracassos e derrotas, decide acreditar no poder da fé, através da oração e da leitura da Bíblia ele renova suas forças e muda a história de sua vida, de seu trabalho e contagia os jovens que treina.

Dentre outros tantos filmes de excelente qualidade e produção, os docentes poderão enriquecer seus conhecimentos, levando essas novas experiências para a sala de aula, ajudando a transformar a forma de pensamento de seus alunos, levando-os a serem cidadãos críticos e participativos, visando um mundo melhor, uma sociedade mais justa.

Filmes Ideais para as Crianças

Filmes para as crianças devem ser os filmes educacionais, pois a infância é a idade do aprendizado e também da brincadeira, então os filmes infantis  vieram para trazer diversão, porem possui um fundo de moral para que as crianças além da diversão leve um aprendizado de vida, mesmo que seja pequeno, mas o importante é alimentar a cabeça das crianças com coisas boas.

Censura Livre

As crianças devem assistir aos filmes que são propícios para a idade de uma criança e não filmes que são destinados para o publico jovem e adulto, mas agora saindo do papo serio, vamos para um papo mais descontraído, pode se afirmar que os desenhos da lista abaixo são um dos preferidos de muitos adultos.

Lembrando que como a censura é livre o filme é propicio para todos, inclusive para os adultos que também se divertem com essas historias junto com as crianças. E se você ainda não assistiu um desses filmes, você está perdendo tempo, corra já pra uma locadora e o alugue e se divirta:

• Procurando Nemo;
Sherek;
• Sherek 2;
• Sherek terceiro;
• Os incríveis ;
• A era do Gelo;
• A era do Gelo 2;

• Toy Story;
• Toy Story 2;
Toy Story 3;
• Carros;
• Monstros S.A.;
Madagascar;
• Alvin e os esquilos;
• A casa monstro;
• A princesa e o Sapo;
• Planeta 51;

 

• Lucas, um intruso no Formigueiro;
• Deu a Louca na Chapeuzinho;
• Happy Feet;
• O segredo dos Animais;
• Ratatouille;
• Stuart little;
• Stuart little 2;
• Stuart little 3;
• Xuxa e o Fantástico Mistério de Feiurinha;
• As Crônicas de Narnia;

 

 



FILMES SOBRE EDUCAÇÃO ESPECIAL

09:34 PM, 25/5/2012 .. 0 comentários .. Link

Filmes sobre educação especial

 

1 - GABY UMA HISTORIA VERDADEIRA (DEFICIÊNCIA FÍSICA)

2 - A CANHOTINHA (DEFICIÊNCIA FÍSICA)

3 - AMARGO REGRESSO (DEFICIÊNCIA FÍSICA)

4 - O SINO DE ANYA (DEFICIÊNCIA VISUAL)

5 - ALÉM DOS MEUS OLHOS (DEFICIÊNCIA VISUAL)

6 - FILHOS DO SILÊNCIO (DEFICIÊNCIA AUDITIVA)

7 - À PRIMEIRA VISTA - (DEFICIÊNCIA VISUAL)

8 - SIMPLES COMO AMAR - (DEFICIÊNCIA MENTAL)

9 - O ÓLEO DE LORENZO - (DEFICIÊNCIA FÍSICA)

10 - RAIN MAN - (AUTISMO)

1 1 - MEU PÉ ESQUERDO - (PARALISIA CEREBRAL)

12 - NASCIDO EM 4 DE JULHO - (DEFICIÊNCIA FÍSICA)

13 - PERFUME DE MULHER - (DEFICIÊNCIA VISUAL)

14 - MR. HOLLAND - ADORÁVEL PROFESSOR - (DEFICIÊNCIA AUDITIVA)

15 - FOREST GUMP - O CONTADOR DE HISTÓRIAS - (DEFICIÊNCIA MENTAL)

16 - O DESPERTAR PARA A VIDA - (DEFICIÊNCIA FÍSICA)

17 - O DOMADOR DE CAVALOS - (DEFICIÊNCIA FÍSICA)

18 - GEORGE O OITAVO DIA (DEFICIÊNCIA MENTAL)

19 - CASTELOS DE GELO ( DEFICIÊNCIA SENSORIAL)

20 - ADORÁVEL PROFESSOR ( DEFICIÊNCIA SENSORIAL)

21 - O SELVAGEM DO AVEIRON (DEFICIÊNCIA MENTAL)

22 - UMA LIÇÃO DE AMOR (DEFICIÊNCIA MENTAL)

23 - AMARGO REGRESSO (DEFICIÊNCIA FÍSICA)

24-MURDERBALL-PAIXÃO E GLÓRIA-SOBRE CADEIRANTES.

SOBRE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS

UMA MENTE BRILHANTE - ESQUIZOFRENIA

MELHOR É IMPOSSÍVEL – OBSESSIVO-COMPULSIVO

UM ESTRANHO NO NINHO -

GAROTA INTERROMPIDA -

RAIN MAN - AUTISMO

CÓDIGO PARA O INFERNO - AUTISMO

UM DIA DE FÚRIA

SPELLBOUND – QUANDO FALA O CORAÇÃO

MARNIE – CONFISSÕES DE UMA LADRA

TEMPO DE DESPERTAR

NO LIMITE DO SILÊNCIO

DON JUAN DE MARCO

ASAS DA LIBERDADE

GILBERT GRAPE - APRENDIZ DE SONHADOR

MR.JONES – MANÍACO DEPRESSIVO

FORREST GUMP

UMA LIÇÃO DE AMOR

3 – O DIFERENTE

A BELA E A BESTA

BETTY LOVE

A CASA DOS ESPÍRITOS

COISAS QUE VOCÊ PODE DIZER SÓ DE OLHAR PARA ELA

EDWARD MÃOS DE TESOURA

O FABULOSO MUNDO DE AMÉLIE POULAIN

MAURICE

NELL - FALA

TUDO SOBRE MINHA MÃE

UMA SEGUNDA CHANCE

BICHO DE SETE CABEÇAS - DROGADIÇÃO

GÊNIO INDOMÁVEL – SUPERDOTAÇÃO INTELECTUAL

4 – DEFICIÊNCIA FÍSICA

À PRIMEIRA VISTA - VISUAL

O HOMEM ELEFANTE - FÍSICA

FANTASMA DA ÓPERA – FÍSICA

O PIANO - AUDITIVA

MEU PÉ ESQUERDO

O HOMEM SEM FACE - FÍSICA

PERFUME DE MULHER – VISUAL

SEMPRE AMIGOS - FÍSICA

FILHOS DO SILÊNCIO - FALA

JENNIFER 8 – A PRÓXIMA VÍTIMA – VISUAL

BLINK – NUM PISCAR DE OLHOS – VISUAL

ENERGIA PURA

JANELA DA ALMA – DOCUMENTÁRIO- VISUAL

 

 



SARAU INFANTIL

09:32 PM, 25/5/2012 .. 0 comentários .. Link

Sarau infantil

Objetivos 
- Ampliar o repertório de poesias conhecidas pela turma. 
- Utilizar a linguagem oral, adequando-a a uma situação comunicativa formal. 

Conteúdo 
- Comunicação oral. 

Anos 
1  ano do ensino fundamental


Tempo estimado 
Dois meses.  

Material necessário 
- Filmadora
- Caixa de papelão
- Aparelho de som
- CD A Arca de Noé - Vols. 1 e 2 

Livros
- A Arca de Noé (Vinicius de Moraes, 64 págs., Ed. Cia. das Letrinhas, tel. 11/3707-3500, 46,50 reais)
- Poemas Desengonçados (Ricardo Azevedo, 56 págs., Ed. Ática, tel. 0800-115-152, 26,90 reais)
- Mais Respeito, Eu Sou Criança (Pedro Bandeira, 80 págs., Ed. Moderna, tel. 0800-172-002, 29,50 reais)

Flexibilização 
Para ampliar a capacidade de comunicação e expressão de crianças com deficiência auditiva e auxiliá-las a utilizar libras, posicione as crianças em semicírculo no momento da leitura, para que visualizem o educador, os colegas e o intérprete. É importante que todos falem, um de cada vez, para facilitar a compreensão. Apresente os autores por meio de fotos e estimule a criança a declamar, em libras, poemas que já conhece. Você também pode declamar algumas poesias para servir como modelo de leitor. Explique a todos as etapas do projeto e apresente uma nova poesia às crianças a cada dia. Peça à criança surda que observe a expressão facial e os movimentos do corpo do intérprete quando este estiver declamando. Proponha que a criança leve um bilhete para casa pedindo que os pais escrevam uma poesia para ser apresentada aos colegas. Incentive a criança surda a participar da confecção da "caixa mágica" e explique que ali serão colocadas as poesias e os livros utilizados no projeto. Apresente à criança a poesia que ela irá declamar junto com dois ou três colegas. Convidar um surdo adulto para declamar na sala em libras para que a criança tenha outros exemplos também é uma boa alternativa. Filme a criança surda declamando com o seu grupo e num segundo momento retome o vídeo para que juntos possam ver o que precisa ser melhorado. No dia do sarau, é interessante que a poesia que será declamada em libras seja lida para a plateia. Registrar todos os avanços da criança é fundamental.


Desenvolvimento 


1ª etapa 
Pergunte quais poemas as crianças conhecem e estimule-as a declamar. Convide-as a conhecer outros, mostrando os livros selecionados. Leia em voz alta alguns deles, caprichando na entonação. Compartilhe a ideia de organizar um sarau de poesia e convidar os pais para assistir ao evento. Explique que para isso é preciso conhecer vários poemas e aprender a declamá-los. 

2ª etapa 
Apresente algumas faixas do CD de poesia musicada para familiarizar a turma com o gênero.

3ª etapa 
Leia para os pequenos todos os dias os livros escolhidos para o projeto. Converse com eles sobre as poesias e como se deve declamar, cuidando da entonação e da altura da voz, para que o público compreenda e ouça com clareza o que for dito. Como tarefa de casa, oriente que peçam aos pais para recitar e registrar por escrito poemas e versinhos que apreciem. Use a caixa de papelão para guardar os textos poéticos fornecidos pelos pais, os livros e o CD. 

4ª etapa 
Leia a poesia Bola de Gude, do livro Poemas Desengonçados, chamando a atenção da turma para a entonação, dicção e altura da sua voz. Proponha que a recitem coletivamente. Repita o procedimento com outros poemas. Use a filmadora para gravar esses momentos. 

5ª etapa 
Exiba o vídeo para que as crianças possam analisar como estão se saindo e em que precisam melhorar. Ajude-as apontando o que estiver adequado também. 

6ª etapa 
É hora de selecionar o que será apresentado no sarau. Pergunte às crianças quais são os textos prediletos delas e decidam se as declamações serão feitas individualmente, em duplas, trios ou grupos maiores. Convide as famílias para o evento

7ª etapa 
Ensaie com a turma os poemas. Filme novamente e exponha as imagens para que todos possam se aperfeiçoar. 

Produto final 
Sarau infantil. 

Avaliação 
Observe e registre o avanço das crianças no que se refere à apropriação na forma de se expressar em situações de comunicação formal.

 

 



PROJETO FEIRA DE CIÊNCIAS

09:30 PM, 25/5/2012 .. 0 comentários .. Link

Feira de Ciências sobre água

Objetivos 
- Reconhecer características da água. 
- Associar o uso da água a algumas de suas características. 
- Perceber a interferência do homem no meio ambiente. 

Conteúdos 
- Características e propriedades da água. 
- Distribuição da água no planeta. 
- Utilização da água pelo homem. 

Anos 
3º ao 5º. 

Tempo estimado 
Dois meses. 

Material necessário 
Água, copo de papel, folha de papel, vela, fósforo, recipiente plástico, giz, suco em pó ou corante, garrafa PET, açúcar, sal e detergente. 

Flexibilização 
Para trabalhar esta sequência com alunos com deficiência auditiva (com compreensão inicial de Libras e em processo de alfabetização), na primeira etapa, oriente-os individualmente, explicando em detalhes como será cada etapa da atividade. Ao falar para o grupo, dirija-se ao aluno com deficiência e estimule sua leitura orofacial. 
Na segunda etapa, amplie o repertório do aluno sobre o tema, encaminhando leituras e atividades junto ao AEE ou como lição de casa. 
Na terceira etapa, estimule a participação do aluno com deficiência fazendo perguntas dirigidas apenas a ele e peça que socialize suas ideias com o grupo. 
Na avaliação, combine antecipadamente com o aluno como será sua participação na Feira de Ciências. Caso sua comunicação com o público seja limitada, ele pode se sentir mais representado pelos registros em cartazes ou vídeos feitos com o grupo. 

Desenvolvimento 


1ª etapa 
Informe aos alunos que eles farão um trabalho para ser apresentado numa feira de Ciências sobre o tema "Água". Divida a turma em grupos com, no máximo, cinco integrantes, e avise que todos estudarão vários aspectos ligados ao assunto. É importante lembrá-los de que o evento será investigativo. Caberá aos estudantes envolvidos no projeto, portanto, fazer a mediação com os visitantes da feira durante o processo de construção de alguns conhecimentos. 

 


2ª etapa 
Para dar início à preparação da feira, deixe que os alunos observem você colocar um pedaço de papel na chama de uma vela para que ele pegue fogo. Em seguida, trabalhe as seguintes questões: 1) Por que, ao ser posto no fogo por alguns instantes, um copo de papel com água não pega fogo? A água do copo esquenta? Você pode fazer uma demonstração dobrando uma folha de papel em forma de cone e colocando dentro dele um pouco de água. Depois, aproxime-o da chama da vela. As crianças perceberão que, dessa vez, o papel não pega fogo, pois a água é capaz de absorver a maior parte do calor. Peça sugestões de outros casos em que a capacidade térmica da água seja evidenciada. Exemplo: quando entramos no mar ou em uma piscina à noite e sentimos que a água está quente (essa sensação se deve justamente ao fato de a água ter passado o dia inteiro absorvendo calor); 2) Por que a água é considerada um solvente universal? Os estudantes podem fazer misturas de água com sal, açúcar e detergente para notar que todas essas substâncias se dissolvem; 3) Por que, quando molhamos a barra da calça na chuva, ela acaba ficando úmida até quase a altura dos joelhos? Para explicar esse fenômeno, chamado capilaridade, proponha experimentos como os seguintes: em um recipiente, coloque um pouco de água e adicione corante ou suco em pó. Depois, peça que os alunos mergulhem a ponta de um giz branco no líquido. Eles verão que a parte colorida "subirá" além do ponto em que o giz foi mergulhado. O mesmo pode ser observado ao mergulhar em um recipiente a ponta de uma toalha de banho; 4) Por que alguns insetos são capazes de "andar" na superfície da água? Esse é o gancho para abordar outra propriedade importante da água: a tensão superficial. Faça uma investigação sobre o tema com a turma; 5) A água disponível na natureza vai acabar um dia? Para discutir o assunto, leve para a sala uma garrafa PET e monte um modelo de escala da água do planeta. Se toda ela coubesse numa garrafa de 2 litros, quanto desse total seria doce? Resposta: apenas três ou quatro colheres de sopa. Quanto dessa água doce está em forma líquida e disponível para consumo? Resposta: aproximadamente três gotas. Durante a atividade, faça perguntas sobre a utilização desse recurso natural pelo homem e as possíveis consequências do uso inconsciente. 

3ª etapa 
É hora de a garotada elaborar a problematização que será desenvolvida junto aos visitantes da feira de Ciências. Explique que ela deve estar relacionada aos seguintes conteúdos: 1) Características e propriedades da água; 2) Distribuição da água no planeta; 3) Utilização da água pelo homem. Garanta que, durante as aulas, os estudantes tenham contato com esses conteúdos. É fundamental que eles pesquisem, façam experimentos e escrevam sobre os três temas. 

4ª etapa 
Explique à turma que a feira de Ciências que vocês pretendem organizar só será investigativa se os visitantes participarem das atividades. Dê alguns exemplos de como isso pode ser conseguido. Uma estratégia é propor aos estudantes que trabalhem em grupo para solucionar um problema, deixando claro que os questionamentos apresentados por você durante as aulas de preparação para a feira podem ser repetidos com os visitantes. Avise que você estará por perto o tempo todo para ajudar. Produto final Feira de Ciências. 

Avaliação 
Avalie a participação de cada aluno e verifique se os objetivos de aprendizagem foram atingidos. Uma breve apresentação do trabalho em sala de aula, antes da feira, pode ser um bom momento de avaliação.

 



A escola e o multiculturalismo

09:10 PM, 22/5/2012 .. 0 comentários .. Link

A escola e o multiculturalismo, a interdisciplinaridade e a

Articulação entre os conteúdos, competências e habilidades

 

A escola de hoje deve procurar organizar no seu Projeto Político Pedagógico, a intenção de desenvolver o currículo de forma integrada, de maneira que os conteúdos, mesmo que ainda organizados em disciplinas, sejam abordados por temas nas diversas disciplinas, as quais por sua vez, mantêm-se articuladas com a intenção de que o conhecimento construído pelos educandos venha a ajudá-los na análise, interpretação, compreensão e problematização dos fatos e dos fenômenos da realidade complexa em que vivem.

Os conteúdos específicos referentes a cada disciplina são considerados como formas de se desenvolver, nos educandos, competências e habilidades que são desenvolvidas e consolidadas, por processos de ensino-aprendizagem caracterizados pelo diálogo entre temas e conteúdos de uma mesma disciplina, assim como entre as diversas disciplinas entre si.

Atualmente, vivemos numa sociedade que é caracterizada por sua complexidade, e a escola é o local onde os fenômenos sociais e as diversas maneiras e concepções de vida social são trabalhados, analisados e discutidos nas diferentes disciplinas. Desse modo, o educador se vê diante de diferentes desafios, entre os quais, o de encontrar o meio termo entre o desafio à lógica disciplinar e a sistematização dos conteúdos. É necessário o diálogo entre as disciplinas, na construção dessa realidade.

A interdisciplinaridade deve reconhecer o domínio de cada área. Ela deve propiciar as condições necessárias para a coexistência de um diálogo entre as disciplinas. Tem a finalidade de estabelecer uma relação que leve o educando a compreender, processar, pensar, criticar e incorporar os diferentes conteúdos e as ligações entre as disciplinas, permitindo-lhe uma construção coerente e lógica dos conhecimentos adquiridos nas diferentes áreas.

 

O currículo da escola, deve trabalhar em prol da formação de identidades abertas à esta pluralidade cultural, desafiadoras de preconceitos, numa perspectiva de educação para a cidadania, para a paz, para a ética nas relações interpessoais, para a crítica às desigualdades sociais e culturais.

Para dar conta da formação do cidadão, a escola deve estar comprometida em propiciar, através de diversas linguagens, a construção do saber, do conhecimento, preparando o educando para a transformação do mundo. Pela convivência com as diversas manifestações culturais, impregnadas de crenças, costumes e valores, espera-se que cada indivíduo passe a reconhecer e respeitar o direito do outro à diversidade. É necessário que o educador reconheça que a humanidade caracteriza-se pela produção da linguagem como sistema simbólico, que torna possível a construção de referências culturais, o desenvolvimento cognitivo e a formação e circulação de valores; que as diversas formas de expressão dos educandos devem ser respeitadas, em função da sua história de vida.

É necessário que o educador perceba os educandos como cidadãos de hoje, indivíduos que participam em um mundo social, do qual a escola representa apenas uma de suas instâncias. Isso envolve respeitar suas experiências de vida, sua linguagem e seus valores culturais, pois não existem conhecimentos que sejam melhores ou mais legítimos do que outros. Não cabe à escola, desqualificar ou ignorar essas experiências, e sim tentar incorporá-las, a fim de que o educando perceba uma articulação da vida social com seu cotidiano. Ao dar liberdade de expressão aos educandos, a escola permite que estes sejam encorajados a atuar criticamente em outras instâncias do mundo social.

A postura ética e crítica do indivíduo abarca a assimilação e reconstrução dos conceitos, da cultura e do conhecimento público da comunidade social no qual o educando está inserido.

A escola deve desenvolver no educando a capacidade de expressar e comunicar suas ideias, participar e interpretar as produções culturais, intervir pelo uso do pensamento lógico, da criatividade e da análise crítica. Este processo é viabilizado pelas disciplinas que propiciam ao educando o seu crescimento como cidadão consciente e crítico, como inserção social, política e compromisso histórico, além do exercício cotidiano dos seus direitos, deveres, atitudes, condutas, como uma atitude de respeito às diversidades e autoconfiança.

 

 



PROJETO- SARAU LITERÁRIO

09:03 PM, 22/5/2012 .. 0 comentários .. Link

Projeto sobre um sarau literário.

 

Objetivos: tem como objetivo proporcionar o acesso dos estudantes a divulgação e produção de poemas e rimas local. Aproveitando as estimadas arvores da cidade nas quais são pendurados poemas para serem lidos pelos passantes.

Conteúdo: comunicação entre a produção textual e a escrita.

Etapa: 4º e 5º ano do ensino fundamental.

Tempo estimado: um mês.

Material necessário: papel reciclado, impressora, plástico, maquina fotográfica.

Desenvolvimento:

1º etapa: durante o período de o projeto fazer leituras diárias para que as crianças desenvolvam sua capacidade de escritores. Orientar as crianças de como vai ser realizado o projeto dar um nome para o projeto. “Como por exemplo.” Poesias sobre os ipês.

2º etapa: reunir professor e alunos fazer pesquisas em livros, revistas sobre as árvores e sua localização, para melhor expor os trabalhos.

3°etapa: fazer leitura de poemas e rima de autores locais como Cassiano Nunes.

4º Etapa: fazer uma visita a uma biblioteca para ter acesso a obras de outros poetas. Convidar grupos de teatros e banda locais para participar do sarau.

5º etapa: finalização do sarau e confeccionar os cartazes para ser fixados nas árvores nos pontos já definidos pelos alunos.

Avaliação: a avaliação será feita durante todo o projeto por meio da participação dos alunos nas atividades desenvolvidas.

 



INCLUSÃO

08:56 PM, 22/5/2012 .. 0 comentários .. Link

Um trio afinado

A família, que mais conhece a história da criança, é essencial na relação com a escola e o atendimento especializado.

Sonia Casarin (novaescola@atleitor.com.br)

Compartilhe

Envie por email  Imprima

SONIA CASARIN Psicóloga, é diretora do S.O.S. Down - Serviço de Orientaçãosobre Síndrome de Down, em  São Paulo, SP.  Foto: Marcelo Min

A escola surge na vida da criança como um dos principais ambientes extra familiares. Lá ela inicia a socialização, compartilha conhecimentos e amplia seu universo. Essa ampliação deve funcionar como continuidade do processo iniciado em casa, onde há muito tempo ela constrói sua história. O ser humano é um todo, não se fragmenta nos espaços aos quais pertence. Em cada um deles, é um ser por inteiro. Se na família se inicia a trajetória pessoal, na escola muitos capítulos serão escritos. 

Além dessas duas instâncias, outra faz parte da vida da criança com necessidades especiais: os diversos profissionais e os serviços com os quais tem contato, como o atendimento educacional especializado. Ela é o ponto de convergência de todos esses atendimentos, que devem ser integrados. 

A necessidade de consistência e de articulação entre os diversos contextos coloca os pais e outros responsáveis na estratégica posição de articuladores e mediadores. São eles que podem fazer fluir a comunicação para integrar os envolvidos no trabalho que visa ao bem-estar e ao desenvolvimento dos pequenos. Essa mediação possibilita também que a família se beneficie das ofertas de aprendizagem, adaptações e flexibilidades, valendo-se delas para dar continuidade a essas práticas no cotidiano dos filhos em casa. 

A Educação como meio de aperfeiçoar as aptidões físicas, intelectuais e morais acontece tanto no convívio familiar como em sala de aula. A construção de mundo e a compreensão do universo escolar e do sentido da aprendizagem serão facilitadas se houver consistência entre o que o estudante vivencia no ambiente de ensino e nos demais a que pertence. 

Como depositária da história do filho, a família revela características, hábitos, modalidades de relacionamento e estilos de comunicação que podem funcionar como um ponto de partida para a construção da ligação afetiva entre a criança e o professor. 

Estudar na rede de ensino regular possibilita ao aluno com necessidades educacionais especiais acesso aos elementos necessários para construir uma representação de mundo que lhe permita transformar-se num adulto autônomo e participativo. Tanto na família 
como na escola, ele pode experimentar o pertencimento e a diferenciação. Pertencimento, por conviver com um grupo e se perceber semelhante. Diferenciação, por ser único, não por sua deficiência, mas por sua singularidade. 

As crianças com deficiência não se reduzem a um diagnóstico. As que têm síndrome de Down não são iguais nem parecidas. Também aquelas com autismo são diferentes entre si - e isso vale para qualquer outro transtorno ou síndrome. Os pais sabem disso. As informações científicas são pertinentes para ampliar a compreensão da criança, não para rotulá-la. 

A busca do professor por informações sobre transtornos e síndromes é, sem dúvida, importante. Mas, para compreender o estudante em si mesmo, é preciso recorrer à família. Só ela pode revelar com clareza a criança em sua subjetividade e particularidade. Por isso, a relação com ela deve ser valorizada.

Publicado em , JULHO 2009. Título original: Família, criança e escola: um trio afinado

 

http://revistaescola.abril.com.br/inclusao/educacao-especial/trio-afinado-511141.shtml acessado em: 16-04-12.

 



Jogos e brincadeiras para Educação Infantil

08:48 AM, 18/5/2012 .. 0 comentários .. Link

Jogos e brincadeiras para Educação Infantil

 

São eles que proporcionam a troca de experiências

Você sabia que os jogos e brincadeiras infantis são importantes para o desenvolvimento e aprendizagem da criança?

Pois bem, na vida das pessoas os jogos e brincadeiras vão surgindo, desde os mais simples até os jogos e brincadeiras com regras.

São eles que proporcionam a troca de experiências, assim, há possibilidade de conquista da identidade.

Através das brincadeiras e dos jogos que a criança aprende regras e limites, brincando e aprendendo.

Na Educação Infantil, os jogos e brincadeiras devem ser bem planejados pelo educador, pois, se bem utilizadas no processo de ensino-aprendizagem, se tornam um grande aliado na introdução dos conteúdos.

 

 



“A LIÇÃO DA BORBOLETA”

08:43 AM, 18/5/2012 .. 0 comentários .. Link

“A LIÇÃO DA BORBOLETA”

 

Um dia, uma pequena abertura apareceu em um casulo. Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.

 

Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais. O homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo.

 

A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.

 

O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar com o tempo.

 

Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

 

O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo com que Deus fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de modo que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

 

Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria como a borboleta. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar...

 

Que a vida seja um eterno desafio, pois só assim voar será realmente possível.

 



Exercícios para melhorar a dicção

08:31 AM, 18/5/2012 .. 0 comentários .. Link

Exercícios para melhorar a dicção – Dicas

Quem trabalha com comunicação  e usa a voz precisa tomar alguns cuidados para evitar que a dicção e as cordas vocais sejam prejudicadas. Além de beber muita água para hidratar as cordas vocais, existem alguns exercícios que devem ser realizados diariamente para melhorar e conquistar uma condição estável da sua voz. Veja aqui algumas dicas de exercícios e treinamento para quem fala em publico ou utiliza a voz como meio de trabalho, como os profissionais de telemarketing, radialista e professores.

 Exercícios para a dicção

1.  Uma forma de melhorar a dicção é treinando a sua leitura. Pronuncie palavras em voz alta, observando o som das letras. Use um livro para ler corretamente.

2.  Aprenda a controlar a respiração diafragmática durante o ato de leitura.

3.  Exercícios de trava línguas, correção de sibilação e articulação contribui para a melhora, pois ela facilita que os lábios e a língua fiquem soltos e a pronuncia fica melhor.

4.  O relaxamento da voz é essencial, apoie o dedo indicador no seu nariz e faça os lábios vibrarem cerca de 1 minuto, em seguida aguarde 30 segundos em silencio e repita novamente. Devem ser realizadas 3 séries.

5.  Um exercício bem simples que pode ser feito em casa é colocar um lápis ou uma objeto parecido entre os dentes e ler um texto de dez linhas, em seguida retire o lápis e leia novamente, isso lapida a dicção.

6.  Faça um exercício  de articulação, pronunciando com o maxilar bem aberto as palavras: mua, mué, mue, mui, muó, muo, muu.

7.  Para quem tem erros e dificuldade em exercitar sozinho é necessário buscar a ajuda de um fonoaudiólogo que irá realizar uma analise e orientar de forma correta o que deve ser feito para melhorar a fala.

http://www.grzero.com.br/exercicios-para-melhorar-a-diccao-dicas/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedgrzero+%28GRZero+-+Informa%C3%A7%C3%A3o+levada+a+s%C3%A9rio%29

 



{ Última Página } { Página 1 de 2 } { Próxima Página }

Sobre Mim

Home
Perfil
Arquivos
Amigos
Álbum de Fotos

Links


Categorias


Últimos Posts

EDUCADOR CONCIENTE...
AULA FORA DE PORTUGUÊS
Veja a entrevista e a dica de atividades da escritora do livro Educação Infantil
PLANO DE AULA 3° ANO MATEMATICA
PLANO DE AULA 3° ANO CIÊNCIAS

Amigos